O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020

O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020
Maduro comemora a chegada do primeiro petroleiro do Irã a abastecer o país
25 de maio de 2020
O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020
Economistas dizem que crise da pandemia pode levar a aumentos de impostos
25 de maio de 2020

O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020

O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020

O mercado financeiro começa a prever uma queda de 5,89% no PIB em 2020

Economistas do mercado financeiro baixaram a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) pela décima quinta vez este ano.

As projeções fazem parte do boletim de mercado, conhecido como o relatório “Focus”, publicado nesta segunda-feira (25) pelo Banco Central (BC). Os dados foram coletados na semana passada em uma pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

Para o PIB de 2020, a expectativa de redução passou de 5,12% para 5,89%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e é usado para medir a evolução da economia.

A redução adicional das expectativas para o nível de atividade ocorreu em meio à pandemia do novo coronavírus, que derrubou a economia mundial e colocou o mundo no caminho da recessão.

PREVISÃO DE MERCADO PARA O PIB DE 2020 (EM%) Fonte: BANCO CENTRAL

Em 13 de maio, o governo brasileiro estimou uma queda de 4,7% no PIB para 2020, com base na perspectiva de que as medidas de distância social terminem no final de maio.

Em 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB cresceu 1,1%. Foi o desempenho mais fraco em três anos.

Para o próximo ano, a previsão do mercado financeiro para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) passou de 3,20% para 3,50%.

Inflação abaixo de 2%

Segundo o relatório publicado pelo Banco Central, analistas do mercado financeiro reduziram a estimativa de inflação para 2020 de 1,59% para 1,57%. Foi a décima primeira redução seguida pelo indicador.

A expectativa de inflação do mercado para este ano permanece abaixo do objetivo central de 4% e também abaixo do piso da meta, que é de 2,5% neste ano.

Segundo a regra atual, o IHPC pode variar de 2,5% a 5,5%, sem que a meta seja formalmente violada. Quando o objetivo não é atingido, o BC deve escrever uma carta pública explicando os motivos.

A meta de inflação é estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para isso, o Banco Central aumenta ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

Em 2021, o mercado financeiro reduziu sua previsão de inflação de 3,20% para 3,14%. No próximo ano, a meta central de inflação é de 3,75% e será cumprida oficialmente se o índice flutuar de 2,25% para 5,25%.

Taxa básica de juros

O mercado continua prevendo um corte na taxa básica de juros da economia brasileira este ano. Atualmente, a taxa Selic é de 3% ao ano. A previsão dos analistas para a taxa Selic no final de 2020 ficou estável em 2,25% ao ano.

No final de 2021, as expectativas do mercado caíam de 3,50% para 3,29% ao ano. Isso significa que os analistas continuam estimando altas taxas de juros no próximo ano, embora em menor grau.

Outras estimativas

fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/05/25/mercado-financeiro-passa-a-projetar-tombo-de-589percent-para-o-pib-em-2020.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: