O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes

O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes
Com Selic no nível mais baixo da história, a rentabilidade do FGTS excede a renda fixa
25 de maio de 2020
O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes
Eduardo Saverin: a trajetória do cofundador do Facebook no Brasil
25 de maio de 2020

O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes

O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes

O medo de perder a recuperação apoia as apostas nos mercados emergentes

(Bloomberg) – Os mercados emergentes permanecem vulneráveis ​​a uma nova onda de vendas, mas investidores e analistas estão começando a apostar na possível recuperação do crescimento.

As estimativas de ganhos para empresas nos países em desenvolvimento estão subindo novamente, os prêmios de risco de títulos estão em declínio e a volatilidade é mais moderada. Os fluxos de capital foram retomados e o chamado carry trade se tornou lucrativo.

Em outras palavras, as feridas causadas por sangramento no primeiro trimestre começam a cicatrizar.

PROPAGANDA

No entanto, os riscos ainda existem. Países emergentes como Índia, Rússia e Brasil tornaram-se novos epicentros da disseminação do Covid-19, assim como estão sob pressão para reabrir as economias. Os países mais pobres mostram um aumento no endividamento. E as relações entre os Estados Unidos e a China se deterioraram. Qualquer um desses fatores pode desencadear vendas de pânico.

Divididos entre a necessidade de proteção contra esses riscos, mas sem querer perder a recuperação, os investidores testam as apostas. Essa medida ajudou a moderar alguns dos danos em março, embora os mercados ainda estejam longe de recuperar todas as perdas.

Perspectivas de lucro

O índice de referência dos mercados emergentes subiu 23% em relação à baixa de dois meses, mas os analistas continuaram cortando as estimativas de lucro analisando o impacto geral da pandemia no crescimento e desempenho das empresas. Agora, pela primeira vez em 18 semanas, as previsões estão começando a aumentar.

Prêmio de risco

Os bônus em dólar, um paraíso para investidores em mercados emergentes durante crises de desvalorização cambial, começaram a receber ingressos no início de abril, mas os prêmios de risco demoraram a cair. Agora, o spread entre títulos soberanos e títulos do Tesouro está caindo no ritmo mais rápido desde 2009. Ainda assim, permanece 23% acima da média de vida, sugerindo a possibilidade de ganhos adicionais de títulos assim que o vírus for contido.

Venda de dívida

A atividade no mercado primário é mais forte. Não apenas a emissão tradicional de títulos em dólares, mas as vendas de títulos em euros também aumentam. O equivalente a quase US $ 14 bilhões em dívida em euros foi emitido para investidores nacionais e internacionais, o maior volume em maio desde 1999 e o segundo melhor total mensal já registrado.

Estabilidade da taxa de câmbio

Nas primeiras semanas de recuperação nos mercados emergentes, as moedas ficaram aquém das ações, à medida que os investidores pesavam as perspectivas de mais uma rodada de ganhos em dólares. Com a moeda americana capturada em uma faixa, os mercados emergentes começaram a recuperar o atraso. Os investidores comerciais, que emprestam dólares para investir em mercados emergentes, agora estão obtendo lucros mensais pela primeira vez este ano. Ao mesmo tempo, a volatilidade esperada, com base nas opções cambiais, está diminuindo.

PROPAGANDA

Como ler o mercado financeiro e aproveitar as oportunidades: descubra o curso A Grande Tacada, de Fernando Góes, gratuito nos próximos dias!

fonte: https://www.infomoney.com.br/mercados/temor-de-perder-recuperacao-sustenta-apostas-em-emergentes/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: