O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF

O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF
A PF conclui na segunda investigação que Adélio agiu sozinho e sem comandantes no ataque a Bolsonaro.
14 de maio de 2020
O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF
O MPRJ recomenda que o estado e o município do Rio adotem medidas mais rigorosas
14 de maio de 2020

O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF

O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF

O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, diz investigação da PF

O ataque de Adélio a Bolsonaro não era obrigatório, afirma que o documento de investigação da PF indica, mais uma vez, que o pedreiro agiu sozinho; Polícia ainda tenta celular forense do advogado do agressor para obter mais resultados

Adélio foi preso no MS Reprodução Youtube

O resultado parcial da segunda investigação da PF (Polícia Federal) sobre o ataque ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) concluiu que não havia constituintes no crime. O relatório com mais de 300 páginas foi enviado ao Tribunal Federal nesta quarta-feira (13).

Como o R7 mostrou no final de abril, as evidências coletadas mostram, mais uma vez, que o pedreiro Adélio Bispo agiu apenas quando esfaqueou o candidato à presidência em setembro de 2018.

Apesar disso, os investigadores ainda buscam autorização do STF (Supremo Tribunal Federal) para realizar uma investigação no telefone celular de Zanone Oliveira, advogado de Adélio Bispo, e reunir mais informações relacionadas ao caso.

O dispositivo foi coletado durante uma operação, mas uma decisão do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da Primeira Região), em resposta a uma solicitação da OAB, proibiu a análise dos dados.

O relatório apresentado ao Tribunal baseou-se em depoimentos, violações de sigilo bancário, fiscal e telefônico e no resultado de buscas e apreensões de documentos e investigações realizadas, além da desconstrução de várias notícias falsas que surgiram sobre o caso.

Caro, o advogado de Adélio Bispo disse que ainda não tinha acesso ao relatório da PF e também disse que acreditava que o autor da facada agia sozinho. O Planalto disse que não comentaria o documento.

Confira as imagens do ataque:

fonte: https://noticias.r7.com/minas-gerais/ataque-de-adelio-a-bolsonaro-nao-teve-mandante-diz-inquerito-da-pf-14052020

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: