Bolsonaro elege o diretor da Abin para comandar a Polícia Federal
25 de abril de 2020
O oponente de Moro, o centro, defende Bolsonaro e diz que não há clima para impeachment.
25 de abril de 2020

Maia adota silêncio estratégico para ficar de fora do ataque

Em entrevistas desde a semana passada, Rodrigo Maia (DEM-RJ), permaneceu no silêncio das viúvas (24) após a troca de acusações entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro Sergio Moro. O ex-presidente da “Operação Lava-Jato” renunciou ao Ministério de Justiça e Segurança Pública, despachado por Maurício Valeixo, exonerado pelo mando da Política Federal.

Segure os aliados da Maia, o silêncio do dipolo do DEM é “estratégico” para manter o radar da militância bolsonarista. Nos últimos dias, foi um dos preferidos dos participantes do jefe do poder executivo nas redes sociais.

Antes do choque público entre Bolsonaro e Moro, o Maia seleciona os interlocutores que são a melhor alternativa “mantenerse fuera de foco” dos ataques bolsonaristas. Portanto, a podría “analisa melhor e com mais tempo” pode posicionar-se na relação com a nova crise do governo.

Com relação às solicitações de juizado político, o número de telefone da vítima, entre os que foram apresentados, não existe nenhum feno que justifique a destituição de Bolsonaro. Os parlamentares de vários partidos, o centro e a oposição, entram em contato durante todo o dia para indicar o momento mais apropriado para a distribuição de podre que está por perto. Algunos aliados inclusive hablaron persona com DEM MP.

fonte: https://valor.globo.com/politica/noticia/2020/04/24/maia-adota-silencio-estrategico-para-ficar-fora-do-foco-de-ataques.ghtml

Os comentários estão encerrados.