Lula busca legitimidade no mundo com revogação ambiental

Lula busca legitimidade no mundo com revogação ambiental

Jamil Chad é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com ingressos para mais de 70 países, o jornalista de São Paulo também faz parte de uma rede de especialistas na luta contra a corrupção da transparência internacional, ele foi presidente da Associação de Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente para veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, França24, sexta -feira e outros. Morando na Suíça desde 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior para a comunicação da entidade.

A decisão do novo presidente Luiz Inacio da Silva de revogar algumas das principais leis que flexionaram a luta contra a mineração em terras indígenas e restaurar o fundo da Amazônia foi recebida por delegações estrangeiras como o primeiro ato de política externa do novo governo . As iniciativas ainda eram interpretadas dentro de Itamaraty como um sinal de que a inserção do Brasil no exterior, após quatro anos de isolamento, ocorrerá através de uma reavaliação de seu papel no debate climático.

Nas semanas anteriores à inauguração, foi instruído a Lula para tomar medidas com a capacidade de criar um confronto de credibilidade internacional, iniciando um esforço para desmontar quatro anos de isolamento do Brasil e desconfiança internacional.

Colunistas do UOL

Em seu primeiro dia de governo, portanto, Lula revogou o decreto criado por Bolsonaro que permitia “mineração artesanal” em terras indígenas e áreas de proteção ambiental. A medida foi denunciada por ativistas estrangeiros, ambientalistas e governos como uma maneira de legalizar a mineração.

Também foi recebido como um sinal positivo da decisão de iniciar a reconstrução do Conselho Nacional Ambiental, uma agência desmontada por Bolsonaro em 2019. O ex -presidente havia tomado a decisão de esvaziar todos os conselhos que poderiam ter a participação da sociedade civil.

Algumas dessas leis estabelecidas por Bolsonaro estavam sendo denunciadas por entidades como a ONU, grupos de direitos humanos e até relatados no Tribunal Penal Internacional. Na Europa, por exemplo, a mineração em terras indígenas foi colocada como um obstáculo a qualquer acordo comercial com o Brasil.

A revogação dessas iniciativas de Bolsonaro, portanto, foi amplamente aplaudida por governos estrangeiros.

Lula ainda cumpriu a promessa feita na conferência da ONU sobre o clima de restaurar o fundo da Amazônia. Mas sua decisão de anunciar isso no primeiro dia do governo foi considerada um sinal de que Lula sabe que o problema climático definirá a reintegração internacional do Brasil.

Neste fim de semana, a Alemanha confirmou que retomaria os pagamentos ao Fundo da Amazon, com um primeiro depósito simbólico de 35 milhões de euros para uso imediato pelo novo Ministério do Meio Ambiente de Marina Silva.

A decisão de Lula também foi aplaudida internacionalmente para incluir Cacique Raoni entre os brasileiros que elevaram a rampa do Planalto Palace com ele e até entregaram a faixa presidencial.

Raoni havia sido assediado por Bolsonaro em um discurso da ONU, enquanto os governos europeus receberam o chefe com honras do chefe de estado. Para diplomatas estrangeiros ouvidos pela UOL, o gesto é uma bacia e marca um novo momento à imagem do país no exterior.

Abraços e contatos

Entre as delegações estrangeiras, houve poucos que comentaram quando Lula tomou abraços, falando e até ouvindo confidências de delegações estrangeiras, especialmente os chefes de estado da América do Sul.

Para seu primeiro dia útil na segunda -feira, Lula atribuirá grande parte de sua programação para receber líderes internacionais. Para Celso Amorim, um dos principais conselheiros de Lula, a presença de mais de 70 delegações estrangeiras e o número recorde de uma posse mostra que há verdadeira confiança no novo governo brasileiro. Para ele, a mensagem de Lula de que “o Brasil voltou” já ecoa em todo o mundo.

Os comentários estão encerrados.