Globe tem status de “ressaca” no dia seguinte ao vazamento de áudio de Morrone

Globe tem status de "ressaca" no dia seguinte ao vazamento de áudio de Morrone
Enem 2020: veja como se inscrever, passo a passo
13 de maio de 2020
Globe tem status de "ressaca" no dia seguinte ao vazamento de áudio de Morrone
As críticas de Morrone a Alexandre García foram registradas pelo técnico da Globo
13 de maio de 2020

Globe tem status de “ressaca” no dia seguinte ao vazamento de áudio de Morrone

Globe tem status de "ressaca" no dia seguinte ao vazamento de áudio de Morrone

Leo Dias é jornalista e diretor executivo da “TV Fama” na Rede TV! Foi correspondente internacional da rádio portuguesa RDP e foi exibido nas TVs Bandeirantes e RedeTV. e apresentou um programa na rádio FM O Dia, líder de audiência no Rio de Janeiro, onde entrevistou políticos, jogadores de futebol, oficiais e muitos artistas. Assinou uma coluna de celebridades no jornal “O Dia” e também esteve nos jornais “Extra” e nas revistas “Contigo”, “Chiques e Famous”, “Amiga” e “Manchete”. Apesar dessa experiência, ele sempre foi definido como repórter, uma grande paixão por investigar as notícias e o desejo de produzir conteúdo exclusivo. Polêmico, polêmico e com uma personalidade forte, Leo ganhou uma audiência cativa por dar notas ousadas e explosivas em um mundo artístico mais conservador. Seu lema: “A fama tem um preço, estou aqui para colecioná-lo”.

Se até ontem era praticamente impossível ter um lugar mais tenso que o Palácio do Planalto, agora ele existe. A sede da Globo em Brasília e no Rio de Janeiro está passando por um “clima” misturado a uma “ressaca moral” desde o vazamento do áudio de Giuliana Morrone durante a edição de sexta-feira (8) do Bom Dia Brasil.

O caos nos corredores da maior rede de televisão da América Latina foi estabelecido ontem à tarde (11). Poucos minutos depois de a coluna de Leo Dias ter publicado o áudio em que a apresentadora da manhã chamou Regina Duarte e Alexandre García de “gagas”, o assunto já era discutido nos grupos de profissionais de jornalismo do WhatsApp.

Em um deles, com a presença de gerentes de setor, havia uma promessa: que a Globo descobrisse o funcionário responsável pelo vazamento de áudio e o “caçaria”. Nos círculos de conversação, as equipes de notícias tentaram identificar possíveis culpados à vontade.

Paralelamente, Alexandre García se isolou do mundo. Ele começou a ignorar todos os pedidos de posicionamento feitos pela imprensa, bem como as tentativas insistentes feitas por esta coluna. Ontem à noite, depois de sete horas de espera, ele acabou de nos responder dizendo que falaria sobre isso no YouTube.

Em seu perfil no Twitter, Garcia também falou brevemente sobre o caso. “Ela falou com uma pessoa, sem intenção de atingir milhões. Mas, como vazou, preciso responder. Imagino que ‘gaga’ seja um preconceito contra os mais experientes; a calúnia não depende de um calendário”, afirmou. .

O tema também repercutiu entre os profissionais de vídeo. Alguns, que não são simpáticos a Giuliana Morrone, riram da situação e disseram que era “justiça divina”. Outros, mais instruídos, se rebelaram e trataram o caso como sabotagem industrial, vestindo a camisa da estação como nunca antes.

No entanto, há um terceiro capítulo dos profissionais de vídeo da Globo: o “eu te disse”. Alguns colaboradores mais experientes lembraram que pouco menos de três anos atrás, William Waack foi demitido da estação depois de estrelar um episódio semelhante.

Um desses colaboradores, um repórter experiente que ocasionalmente relata as notícias da rede, concordou em falar com a coluna de Leo Dias com a condição de preservar sua identidade.

“Em tantos anos de telejornalismo, aprendi uma lição valiosa. Nunca falo ‘miked’ ou na frente da câmera, algo que não falaria publicamente, em uma conferência, por exemplo”, observou ele.

Em Bom Dia Brasil, na terça-feira 12, o clima foi visível. A equipe de notícias falava apenas como estritamente necessária durante os intervalos comerciais, e isso se refletia no ar. O telespectador raramente encontra tantos rostos.

Dentro da Globo, o tipo de caça às bruxas continua. Ninguém sabe ao certo como, afinal, a conversa de Giuliana Morrone vazou. No entanto, sabe-se que a bomba explodirá no colo de alguém, mesmo que a escolhida como culpada seja um bode expiatório. A alta gerência da estação quer um culpado, qualquer que seja o custo. E você encontrará, mesmo que não seja a solução real para impedir que episódios do gênero se repitam.

* Com a colaboração de Gabriel de Oliveira

fonte: https://tvefamosos.uol.com.br/colunas/leo-dias/2020/05/12/globo-tem-clima-de-ressaca-no-dia-seguinte-ao-audio-vazado-de-morrone.htm

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: