Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP

Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP
PF realiza buscas e apreensões contra aliados de Bolsonaro na investigação de atos antidemocráticos
17 de junho de 2020
Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP
Abraham Weintraub permanece no Ministério da Educação
17 de junho de 2020

Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP

Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP

Deputado Daniel Silveira e vendedor de Bolsonaro são alvos de busca da FP

BRASÍLIA E RÍO – A Polícia Federal (PF) lançou nesta terça-feira uma operação contra os bolsonaristas investigados por apoiar a conduta de atos antidemocráticos, que exigem o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. A PF realiza 21 ordens de busca e apreensão solicitadas pela Procuradoria Geral da República (PGR) e autorizadas pelo Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Santa Catarina e Distrito Federal.

Analítico: pesquisas que chegaram aos apoiadores de Bolsonaro têm uma mensagem do Supremo Tribunal Federal

Um dos objetivos da operação é o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que está sendo investigado no caso. Daniel ficou conhecido na campanha eleitoral de 2018 por quebrar uma placa com o nome da vereadora Marielle Franco, assassinada naquele ano.

A PF realiza as ordens nesta terça-feira contra os bolsonaristas investigados por apoiar atos antidemocráticos Foto anterior Foto seguinte A polícia federal busca e prende a casa do blogueiro Allan Santos, apoiador do presidente Jair Bolsonaro e um dos fundadores do site “Tuesday Free”. A operação investiga a prática de crimes no âmbito da Lei de Segurança Nacional Foto: Jorge William / O A Agência Globo Allan já havia sido objeto de uma investigação de notícias falsas. O objetivo dos pesquisadores é descobrir os financiadores do grupo que protestaram contra o fechamento do Congresso Nacional com ataques contra o Supremo Tribunal Foto: Jorge William / Agência O Globo Canal TL Produção de vídeos e cursos, empresa de propriedade do blogueiro Allan Santos, pesquisa e apreensões da operação Lume Foto: Jorge William / Agência O Globo Objetivo da operação nesta terça-feira, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) testemunha na superintendência da Polícia Federal de Brasília, sobre a investigação de notícias falsas Foto: Jorge William / Agência O Globo Daniel Silveira ficou em silêncio durante o depoimento. Além dele, outro alvo da operação foi o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), que quebrou a placa em homenagem à vereadora Marielle Franco, na campanha eleitoral de 2018 Foto: Jorge William / Agência O Globo

Silveira, que faz parte da base de apoio do presidente Jair Bolsonaro, publicou em seu Twitter que agentes da Polícia Federal estão em seu departamento nesta terça-feira de manhã. Além disso, os agentes também estavam em endereços ligados ao parlamentar em Petrópolis, na região montanhosa do Rio.

“A polícia federal do meu departamento. Estou realmente perturbando algumas esferas do antigo poder. E todos os dias ficarei mais firme nessa guerra!”, Escreveu o deputado.

O deputado Daniel Silveira é o único alvo com um fórum privilegiado para a operação. O resto são empresários e outros defensores de atos antidemocráticos.

Lauro Jardim: Por que os aliados de Bolsonaro que receberam uma visita de PF em maio chamaram a atenção hoje?

Após as buscas, o deputado Daniel Silveira esteve na Superintendência da FP em Brasília para prestar depoimento sobre os fatos investigados. Silveira, no entanto, disse aos investigadores que ele não falaria porque ainda não tinha acesso ao processo e à decisão do tribunal que determinou os registros contra ele. Portanto, o deputado permaneceu calado na declaração. Há uma expectativa de que você será ouvido novamente depois de acessar os registros.

Notícias falsas: Quem são os investigados na investigação da Suprema Corte?

A ação foi nomeada pela PF como Operação Fogo, referência à necessidade de esclarecer os investigados, para que todos os fatos relacionados às circunstâncias de autoria, materialidade e financiamento desses grupos sejam revelados. Foi planejado antes da operação que realizou a prisão da ativista Sara Giromini, lançada na segunda-feira. No entanto, como as prisões eram mais urgentes, houve uma mudança na cronologia da operação.

Sonar: Quem são os jovens recrutados por Carlos Bolsonaro para elevar o dispositivo digital do governo?

O objetivo dos investigadores é descobrir os financiadores do grupo que protestaram contra o fechamento do Congresso Nacional e com ataques contra o Supremo Tribunal Federal. Suspeita-se de crimes cometidos sob a Lei de Segurança Nacional.

Objetivos da operação

Luís Felipe Belmonte: empresário, advogado e um dos principais financiadores e organizadores da Aliança pelo Brasil, festa que o presidente Jair Bolsonaro deseja criar. Ele é o primeiro substituto do senador Izalci Lucas (PSDB-DF). Também possui um time de futebol em Brasília.

Em nota, Belmonte afirmou que, como advogado, ele sempre foi guiado “pelo respeito pelas instituições e pela estabilidade democrática”. Ele também disse que nunca incentivou ou financiou atos com o objetivo de “derrubar ou mesmo ofender o Supremo Tribunal Federal”.

Sérgio Lima: publicitário da Aliança pelo Brasil, festa organizada pelo presidente. Ele foi responsável pelo logotipo, site e aplicativo de coleta de assinaturas do título liderado pelo presidente.

Daniel Silveira (PSL-RJ): deputado federal aliado ao presidente Jair Bolsonaro. Junto com o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), ele quebrou uma placa criada em homenagem à vereadora Marielle Franco durante a campanha eleitoral de 2018.

Allan Santos: blogueiro que apoia o presidente Jair Bolsonaro e um dos fundadores do site “Tuesday Free”. Ele já havia sido o alvo da investigação de notícias falsas.

Alberto Junio ​​da Silva: blogueiro vinculado a Bolsonaro e trabalhando no canal “Giro de Notícias”.

Ravox Brasil: Bolsonarista youtuber

Otavio Fakhoury: empresário que admitiu publicamente ter financiado protestos a favor de Bolsonaro. A defesa de Fakhoury nega a conexão com as irregularidades e afirma que ele não sabe quais fatos estão sendo investigados, uma vez que ele ainda não obteve acesso às informações da investigação.

Camila Abdo: militante bolsonarista nas redes que é assistente parlamentar de um deputado estadual.

Emérson Teixeira: blogueiro bolsonarista

Fernando Lisboa: blogueiro da base bolsonarista

Valter Cesar Silva Oliveira: chefe de um canal do YouTube que defende a intervenção militar e solicita contribuições financeiras

Ernani Fernandes Barbosa Neto: Advogado responsável pelo gerenciamento de páginas nas redes sociais que apoiaram Bolsonaro e foram eliminadas, no final do ano passado, devido à publicação de spam, notícias falsas e violação das políticas de autenticidade estabelecidas.

Thais Raposo do Amaral Pinto Chaves: Juntamente com Ernani, também responsável pelo gerenciamento de páginas nas redes sociais que apoiavam Bolsonaro e foram eliminados, no final do ano passado, por publicar spam, notícias falsas e violar as políticas de autenticidade estabelecidas.

Roberto Boni: Autor de publicações em defesa da intervenção militar nas redes sociais. É também a capa do cantor Roberto Carlos.

Inclutech: Empresa de Sérgio Lima, comerciante da Aliança no Brasil.

Canal TL Produção de vídeos e cursos: Empresa do blogueiro Bolsonarista Allan dos Santos.

fonte: https://oglobo.globo.com/brasil/deputado-daniel-silveira-marqueteiro-de-bolsonaro-sao-alvos-de-busca-da-pf-1-24481649

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: