Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões

Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões
Do número real de mortes ao avanço de casos na periferia: veja 4 indicadores que o Brasil não possui na pandemia de coronavírus
15 de maio de 2020
Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões
Terremoto atinge o estado de Nevada
15 de maio de 2020

Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões

Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões

Covid-19: Trump ameaça cortar laços com a China, diz que economizaria bilhões

Trump diz que o coronavírus “nunca deveria ter deixado a China” – Foto: Tom Brenner / Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, endureceu sua retórica contra a China na quinta-feira, dizendo que não falaria com seu colega Xi Jinping. O republicano ameaçou cortar laços bilaterais devido à maneira como Pequim lidou com a pandemia de Covid-19.

A tensão entre as principais potências do mundo disparou devido à pandemia de coronavírus, que Trump chamou de “praga chinesa”.

“Eu tenho um relacionamento muito bom, mas agora não quero falar com ele”, disse Trump à Fox Business, dizendo que estava “muito decepcionado” com o tratamento da pandemia pelo governo chinês. Quando perguntado se os Estados Unidos poderiam tomar medidas retaliatórias, Trump não elaborou, mas fez ameaças:

“Há muitas coisas que poderíamos fazer. Poderíamos fazer coisas. Poderíamos cortar todos os relacionamentos. Se eu fizesse, o que poderia acontecer?” Perguntou Trump. “Economizaria 500 bilhões se cortasse todos os relacionamentos”, acrescentou.

A intensa atmosfera entre os Estados Unidos e a China degenerou nas últimas semanas, devido a trocas de acusações sobre a origem da pandemia de coronavírus, que já causou mais de 300.000 mortes em todo o mundo.

Os Estados Unidos são o país com o maior número de pessoas infectadas e mortes. Trump tratou a doença com desdém no início da disseminação, mas depois de vários estados, especialmente Nova York, terem adotado medidas de isolamento social contra o coronavírus, ele viu o desemprego no país disparar e atrapalhar seus planos de reeleição em novembro.

Novos dados divulgados quinta-feira indicam que a epidemia destruiu 36,5 milhões de empregos nos Estados Unidos desde meados de março.

Trump disse que Pequim escondeu a verdadeira escala do surto, que eclodiu no final de 2019 na cidade de Wuhan, no centro da China, permitindo a sua disseminação.

O governo chinês nega essa acusação e insiste que transmitiu todas as informações disponíveis à Organização Mundial da Saúde (OMS) o mais rápido possível.

Trump insistiu nas acusações durante a entrevista com Fox, o canal ultraconservador e defensor do governo republicano. “Tudo veio da China e eles deveriam ter parado”, disse ele. “É muito triste o que aconteceu no mundo e em nosso país com todas essas mortes”, acrescentou.

O número de mortes por coronavírus em 24 horas nos Estados Unidos subiu para 1.813 na quarta-feira (13), elevando o número total de mortes no país para 85.581, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins. O país tem 1.411.466 infectados, de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Baltimore.

Acusações de hackers.

Essa disputa entre os Estados Unidos e a China levanta questões sobre o acordo comercial parcial alcançado em janeiro entre os dois países, que estabeleceu uma trégua na guerra tarifária. No início desta semana, Trump descartou a renegociação do acordo depois que a imprensa indicou que a China queria reabrir as negociações.

Na sexta-feira, o principal negociador da China, Liu He, falou por telefone com seus colegas americanos, dizendo que os dois lados concordaram em implementar a primeira fase do acordo. No entanto, a guerra retórica é travada em capítulos.

As autoridades americanas intensificaram a troca de acusações dizendo que hackers chineses estão tentando obter dados sobre tratamentos e vacinas contra coronavírus. Eles também alertaram que essa tentativa envolve grupos e indivíduos relacionados ao governo chinês.

O FBI e a agência federal de segurança cibernética disseram que os esforços da China representam uma “ameaça significativa” à resposta dos Estados Unidos ao Covid-19, quando dezenas de empresas, institutos e governos em todo o mundo estão ficando sem tempo para desenvolver uma vacina.

Pequim nega as alegações e considera que o governo dos EUA está tentando travar uma guerra suja em um momento em que a sugestão de que o coronavírus apareceu em um laboratório em Wuhan foi negada.

Quando perguntado pela Fox Business sobre os motivos dessa acusação, Trump foi menos categórico do que em outros momentos e até pareceu atenuar as dicas.

fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2020/05/14/covid-19-trump-ameaca-romper-lacos-com-a-china-e-fala-que-economizaria-bilhoes.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: