Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está ‘pronto para falar’

Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está 'pronto para falar'
Coronavírus: Chile enfrenta casos crescentes e adota o bloqueio em Santiago
13 de maio de 2020
Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está 'pronto para falar'
Bolsonaro diz que “o confinamento vai quebrar o Brasil” e que “o caos estará presente”
14 de maio de 2020

Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está ‘pronto para falar’

Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está 'pronto para falar'

Bolsonaro pede governadores para rever política de isolamento e diz que está ‘pronto para falar’

O presidente Jair Bolsonaro disse quinta-feira (14) que está pronto para falar com os governadores sobre medidas para conter a pandemia de coronavírus. Ele instou os estados a rever estratégias de isolamento social.

Bolsonaro conversou com jornalistas fora da residência oficial do Palácio da Alvorada. Ele voltou a defender a retomada das atividades econômicas que estão paralisadas devido à pandemia.

“Apelo aos governadores. Revise essa política. Estou pronto para falar? Vamos preservar a vida? Vamos lá. Mas, dessa forma, o preço à frente será centenas de vidas a mais que perderemos devido a essas medidas absurdas. fechar tudo “, disse o presidente.

Desde os primeiros registros no país da covid-19, uma doença causada pelo vírus, Bolsonaro adotou uma posição de confronto com os governadores. O presidente sempre criticou as medidas de isolamento social adotadas pelos estados de acordo com as recomendações das autoridades de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os confrontos ocorreram principalmente com o governador João Doria (PSDB), de São Paulo, e Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro. Bolsonaro acusa os dois de aproveitar as vantagens políticas da crise para enfraquecer o governo federal.

Nesta semana, Bolsonaro criticou os governadores que não quiseram seguir o decreto, assinado por ele, que inclui salões de beleza, cabeleireiros e academias de ginástica entre as atividades essenciais da pandemia. A maioria dos estados e o Distrito Federal entendiam que o relaxamento pioraria a propagação do vírus.

Comentando sobre o caso, Bolsonaro disse que não seguir o decreto seria “autoritarismo”. No entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) já reconheceu que a competência para definir medidas de isolamento pertence aos estados.

Ao deixar Alvorada, Bolsonaro também disse que lamenta as mortes causadas pela covid-19, a doença causada pelo coronavírus, mas argumentou que haverá mais mortes se as medidas de isolamento forem mantidas.

“Temos que ter coragem de enfrentar o vírus. As pessoas estão morrendo? Sim! Desculpe! Mas morrerá muito, muito, muito mais se a economia continuar a ser destruída por essas medidas”, disse o presidente.

Bolsonaro também criticou o chamado confinamento (versão mais rígida do isolamento social) adotado por algumas cidades do país. Segundo os especialistas, é a medida mais eficaz para impedir o contágio fora de controle.

“Essa história de confinamento, eles vão fechar tudo, esse não é o caminho. Esse é o caminho do fracasso, [vai quebrar] o Brasil. Governador, prefeito, que talvez tenha entrado nessa onda lá, faça o que eu já fiz na minha vida: peça desculpas e faça a coisa certa “, disse o presidente.

fonte: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/05/14/bolsonaro-faz-apelo-para-governadores-reverem-politica-de-isolamento-e-diz-que-esta-disposto-a-conversar.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: