Bolsonaro diz que pode processar a AGU contra o governador que viola o decreto

Ceará registra 91 mortes e 813 novos casos de coronavírus em 24 horas
Ceará registra 91 mortes e 813 novos casos de coronavírus em 24 horas
13 de maio de 2020
Detidos tentam se infectar com coronavírus para sair da prisão nos EUA EUA
Detidos tentam se infectar com coronavírus para sair da prisão nos EUA EUA
13 de maio de 2020

Bolsonaro diz que pode processar a AGU contra o governador que viola o decreto

Bolsonaro diz que pode processar a AGU contra o governador que viola o decreto

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro disse terça-feira que poderia processar a Procuradoria Geral da República (AGU) por tomar medidas legais contra governadores que violaram decretos que definem a lista de serviços essenciais lançados durante a pandemia de Covid-19.

Veja: Governadores e especialistas criticam decreto de Bolsonaro sobre academias e salões de beleza

– Se o governador disser que não cumprirá, a Procuradoria Geral da República, o Ministério da Justiça, tomará as medidas necessárias – disse o presidente a repórteres quando chegou ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro argumentou que os governadores que decidem bloquear atividades essenciais estariam, na prática, violando uma regra federal. – Se houver uma violação, a AGU se empenhará, talvez com a esfera judicial, para que o governador cumpra o decreto – afirmou.

O presidente disse que poderia expandir ainda mais a lista de serviços essenciais. – Se você tem uma sugestão para uma nova profissão considerada essencial, estudamos e decidimos. Um decreto é rápido “, disse ele.

Lauro Jardim: Quem levou o jet ski para Bolsonaro?

Para Bolsonaro, o decreto que classifica os serviços de manicure, salão de beleza, cabeleireiro e academia como essencial ajudará “pessoas muito humildes” a voltar ao trabalho e outras a “desestressar” quando praticam atividades físicas.

Na opinião do presidente, embora não possam ignorar o decreto, os governadores podem contestá-lo. – Quando qualquer um de nós pensa que uma lei é exagerada, existem duas maneiras: a da Justiça e a do Parlamento. No caso de um decreto, [a alternativa] é chamada de “decreto legislativo” para que esse decreto seja nulo e sem efeito, disse ele.

– Apelo aos governadores. Eu reconheço o tema da vida, que é importante. Lamento cada vida que passa, mas o desemprego mata. Agora, um governador de São Paulo disse que o confinamento é melhor que o enterro. Nem tanto, nem tanto para o mar, nem tanto para a rocha. É o meio termo, você tem que lidar com os dois problemas – disse Bolsonaro, acrescentando – estou vendo uma ameaça de bloqueio, isso é absurdo, inadmissível. As pessoas querem trabalhar.

O presidente disse novamente que está preocupado com o desemprego. – O desemprego vem galopando, em empregos formais. É inútil abrir atividades industriais, como eu, que podem produzir para exportação, mas para consumo doméstico, no final da linha, não haverá comércio aberto para vender produtos – disse ele.

Bolsonaro minimizou a publicação do decreto sem consultar primeiro o ministro da Saúde, Nelson Teich, já que decidir sobre o escopo do isolamento não é uma atribuição da agência. Para o presidente, “é muito cedo” para analisar seu desempenho à frente do portfólio, que encontrou uma “situação complicada”.

fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade/bolsonaro-diz-que-pode-acionar-agu-contra-governador-que-descumprir-decreto-1-24423564

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: