“Não há como fazer planos com dinheiro público”, diz o secretário de privatização

"Não há como fazer planos com dinheiro público", diz o secretário de privatização
A demanda por viagens aéreas domésticas cai 32,84% em março em comparação a um ano, diz Abear
24 de abril de 2020
"Não há como fazer planos com dinheiro público", diz o secretário de privatização
Um brasileiro que vive no Equador relata o impacto da pandemia: “Vi crianças pegando comida do lixo em minha casa”
24 de abril de 2020

“Não há como fazer planos com dinheiro público”, diz o secretário de privatização

"Não há como fazer planos com dinheiro público", diz o secretário de privatização

(Valter Campanato / Agência Brasil)

O Brasil não possui o público público para o “Plano Marshall para Trópicos”, declarado nos gabinetes do Secretariado Especial de Privatização, Desinversão e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar, uma hora antes do administrador anunciar o programa de reanálise ” econômico-social “posterior a covid-19.

“O ella llaman el Plan Marshall é uma idéia embrionária que é diferente dos planos do Ministério da Economia. O Plano Marshall depende do banco de dados dos Estados Unidos, onde você encontra o número de telefone “, incluindo Salim, que pertence ao Ministério de Economia para contrarrestar o equipamento econômico que está sendo usado: as privatizações.

O plano de governo, denominado Pro-Brasil, fuso horário do cenário do Plano Marshall em referência à estratégia financeira financiada pela reconstrução e recuperação dos países aliados despachados da Segunda Guerra Mundial. O principal diretor do Pró-Brasil é a reavaliação de obras detidas com recursos públicos e privados.

PUBLICIDAD

Sem embargo, o Mattar não tem nenhum tipo de plano de controle governamental com o público público, porque o país “não tem o dinero”. Também é permitido aplicar o aplicativo de iniciativas de privatização planejadas multas deste ano. Según Mattar, a conclusão da área econômica é que não existe “clima” para vender ativos.

O aplicativo inclui a privatização da Eletrobrás, que está programada para ocultar. Com os efeitos da pandemia, o calendário é transferido para o segundo trimestre de 2021. Para o secretário, esse câmbio nos planos é “compreensível”. “Sabemos que desde agora não há nada de novo, é possível que não possamos encontrar nada mais”.

A pesagem do aplicativo de privatização, o secretario diego que cria o projeto da lei que autoriza a venta da Eletrobrás debería ser aprovado pelo congresso a multas deste ano. O texto foi firmado pelo presidente Jair Bolsonaro em novembro de 2019 e requer a aprovação da Câmara e do Senado. Estabeleça, entre outras definições, que a União tende a menos de 50% das ações e não tem poder de veto.

O novo cronograma de privatizações inclui as privatizações programadas para 2021. As correções de correios, Codesp e Telebrás, que debitam realizar o próximo ano, serão posteriores a 2022.

Mattar confirma que o administrador não conseguiu arrecadar o objetivo de vender R $ 150 milhões em ativos em 2020. A pesar, a área econômica decidiu não revisar o objetivo, e o momento é importante. Em 2019, o governo alcanzou R $ 105,5 milhões em privatizações e desinversões.

Todo o necessário saber para obter benefícios no Bolsa que opera desde o hogar em um curso gratuito: clique aqui e participe!

fonte: https://www.infomoney.com.br/economia/nao-ha-como-fazer-planos-com-dinheiro-publico-afirma-secretario-de-desestatizacao/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: