O Brasil não se sai tão mal no ranking de coronavírus

O Brasil não se sai tão mal no ranking de coronavírus
O Brasil tem 6.750 mortes e 96.559 casos confirmados de coronavírus, segundo o ministério
3 de maio de 2020
O Brasil não se sai tão mal no ranking de coronavírus
Coronavírus: como a política de Trump expande espaço para a China ganhar influência
3 de maio de 2020

O Brasil não se sai tão mal no ranking de coronavírus

O Brasil não se sai tão mal no ranking de coronavírus

No Brasil, no momento, você está curtindo um pouco a classificação mundial da pandemia de coronavírus, não se aplica a ascensão na tabela de maturidade. O horror é grande, mas há muitos comentários sobre comparações de hackers com precisão de prefeito. Não trata de subestimar mais de 6.000 mudos, de modo a pensar melhor sobre o ritmo da epidemia e se você pode prejudicar o respectivo projeto.

Cuarenta dias após a décima vitória de Covid-19, Brasil, com 23,6 milhões de milhões de habitantes. Estados Unidos, 66,8. Alemanha: 63,5. Italia: 254. Reino Unido: 298. Espanha: 363. Coréia: 3,6 milhões por milhão. Japão: 1.3. Toda Europa: 62,4.

Como é fácil ver, a comparação pesa o número de alterações pelo tamaño da publicação. Também considere o número de mutações em etapas semelhantes à epidemia: días equivalentes a dedução da décima muerte. Um país pode ter mais ou menos níveis de solo porque está no caminho ou em uma etapa posterior da propagação da enfermedad.

Este exercício é baseado no trabalho de Pedro Hallal, epidemiologista e decano da Universidade Federal de Pelotas. Hallal também coordena o primer estudio brasileño que intenta estima a real infecao por coronavirus no Brasil, analisando muestras da población. Você conseguiu um cabo de rondas de investigação no Rio Grande do Sul. O estúdio nacional de negócios da próxima semana.

Hallal publicará seu artigo na revista “Ciência e Saúde Coletiva”. Quando você termina o trabalho, os dados são relevantes até 9 de abril. As cuecas têm este periódico considerando os status estatísticos registrados no dia 1 de maio, nas últimas semanas.

O investigador prefere usar os dados de muerte para medir o progresso da epidemia, inclusive com reservas. O número oficial de casos confirmados, além de subestimar o alcance da enfermaria, é desigual devido às diferenças internacionais nos critérios de conteúdo.

Você pode subestimar especialmente o número de músicas no Brasil? Supongamos that sí. Suporta que 40% seja mais alto, caso contrário, inclui todos os interruptores por SARS na cuid Covid-19 (SARS: Síndrome respiratória agudo severo). Também, o número relativo de alterações no Brasil é menor que na Europa, Estados Unidos ou Canadá.

Na América Latina, a epidemia não está disponível como no Brasil. No trigésimo dia, o número de silenciosos por milhão de habitantes é semelhante ao México e ao Chile e à mitigação do registrado no Peru. Pero era três vezes a tasa argentina e o poco mais dobre que a tasa colombiana.

“Os resultados brasileiros são consistentemente melhores do que os municípios da Europa e os mais consistentes do que os prefeitos dos países asiáticos”, diz Hallal.

Fueron relativamente melhores, especialmente debatidos na adoção temporária da distância social, dados o investigador.

Tener um SUS também é muito legal.

A evolução do número relativo de alterações no Brasil ocorre mais lentamente na Europa desde os dias 30 e 40 da epidemia (o Brasil está agora no 44), semelhante à França e à Itália, muito melhor que no Reino Unido e no mundo. peor. que nos Estados Unidos, Alemanha e Espanha.

Sem embargo, nos últimos dias, o ritmo total muda se for desacelerado. O Presidente da República sabota o desaparecimento social e a política anticovida em geral. Funerarios brasileiros, aquellos que nos roubam as tarefas de mortalidade mais altas no tráfico, por ejemplo, tambem parecen expresarse no empacotamento do aislamiento, que desminou y es objeto de campaña de ignorancia necrofílica, ver las caricias da muerte.

fonte: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/viniciustorres/2020/05/brasil-nao-vai-tao-mal-no-ranking-do-coronavirus.shtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: