Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios

Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios
Como a tecnologia 5G está afetando o ramo da indústria
31 de março de 2020
Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios
Covas afirma que “se você seguir o conselho Bolsonaro, São Paulo vai explodir como Milan”
1 de abril de 2020

Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios

Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios

Governo anuncia atraso de 60 dias de ajuste Remédios

Bolsonaro disse adiar o ajuste de todas as drogas é um acordo feito com a indústria. Associação que representa os laboratórios nacionais disse que fez a proposta.

Presidente Jair Bolsonaro anunciou na terça-feira (31) através de uma rede social a um acordo com a indústria farmacêutica para o reajuste anual de todos os remédios ser adiada por 60 dias. O adiamento da razão é a crise provocada pela pandemia coronavírus.

A União de produtos farmacêuticos (Sindusfarma), com 425 membros de empresas nacionais e multinacionais, disse que tinha sido consultado. A Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais (ALANAC), representando 53 laboratórios nacionais, disse que fez a sugestão Bolsonaro o atraso (ver abaixo).

O aumento seria de cerca de 4%, de acordo com a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos e deverá entrar em vigor na quarta-feira (1).

Havia uma pergunta que o adiamento era só é verdade para drogas relacionadas ao tratamento de coronavírus, mas Bolsonaro disse que vai se aplicar a todos.

De acordo com a indústria farmacêutica decidiu adiar por 60 dias o reajuste de todas as drogas no Brasil, escreveu o presidente.

Durante uma conferência de imprensa com ministros na tarde de terça-feira (31) no Ministro Walter Souza Braga Neto, presidencial equipe Palace, reiterou o anúncio feito pelo presidente.

De acordo com o site do Sindusfarma, o sindicato tem 425 membros, incluindo empresas nacionais e multinacionais.
O presidente da Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais (ALANAC), Henry Tada disse que a associação enviou na manhã de terça-feira (31) a sugestão de adiar o reajuste de medicamentos.

De acordo com Tada, estabelecido por lei, a mudança deve vir através de uma medida provisória.

Henry Tada disse que a indústria será capaz de absorver esse atraso e isso vai ser importante neste momento de crise.

Segundo o site da ALANAC, a entidade representa 53 laboratórios nacionais (cerca de 50% do total).

Fonte, Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: