Covid tem aumentado depositos em poupança

Covid tem aumentado depositos em poupança
Empresas lançam Manifesto contra demissões
8 de abril de 2020
Covid tem aumentado depositos em poupança
Porto Murtinho deve exportar 20% de soja 2021
8 de abril de 2020

Covid tem aumentado depositos em poupança

Covid tem aumentado depositos em poupança

Covid tem aumentado depositos em poupança

Aplicações financeiras brasileiras mais tradicionais, contas de poupança, uma vez mais, atraindo o interesse dos brasileiros no meio da pandemia causada por um novo coronavírus. No mês passado, os investidores têm depositado R$ 12.170 milhões a mais que retirou o pedido, disse ele na segunda-feira (6) do Banco Central. Em março do ano passado, o financiamento líquido – a diferença entre depósitos e saques – alcançou R$ 1,85 bilhão.
Esta foi a maior captação líquida para o mês de março desde o início da série em 1995. Como resultado do mês passado, a poupança acumulada saída líquida de R$ 3,76 bilhões no primeiro trimestre.


A forte queda no mercado de ações e instabilidade em outros investimentos, como títulos do Tesouro, reflete em um maior volume de depósitos em poupança. No mês passado, o Tesouro Direto veio para ficar alguns dias fora do ar devido à turbulência no mercado financeiro.


História


Em 2014, o Brasil depositou sobre a retirada de poupança. Naquele ano, as entradas líquidas atingiram R$ 24 bilhões. Com o início da recessão económica em 2015, os investidores começaram a retirar dinheiro de livro para dívidas de cobertura em uma configuração de quebra dos rendimentos eo aumento do desemprego.
Em 2015, a R$ 53,57 bilhão foi retirado da poupança, o mais alto da história retirada líquida. Em 2016, os levantamentos excedeu depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência foi revertida em 2017, quando o financiamento for superior retiradas $ 17,12 bilhões, e em 2018, uma entrada líquida de R$ 38.260.000.000. Em 2019, a economia registou entradas líquidas de R$ 13,23 bilhões.


Rendimento de 70% da taxa Selic (taxa básica de juros), economizando ainda mais recursos atraiu a taxa básica no nível mais baixo na história. Com o SELIC em 3,75% por ano, o investimento foi obtendo-se menos do que a inflação. No entanto, a expectativa de que a inflação vai cair devido à crise econômica causada pelo novo coronavírus podem causar o aplicativo para terminar o ano com rendimentos próximos de zero ou mesmo positivos.
Nos 12 meses encerrados em março, a aplicação rendeu 3,64%, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que serve como uma prévia da inflação oficial chegou a 3,67%. A plena IPCA de março será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (9).


2020 Boletim Focus, o estudo de instituições financeiras pelo banco central, fornece inflação oficial de 2,72% no Índice de Preços no Consumidor (IPCA). Com a fórmula de desempenho atual, a poupança está dando 2,625% em 2020, considerando-se a redução da SELIC para 3,75% ao ano.

Fonte, Notibras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: