A renúncia de Mandetta e o novo ministro da Saúde

A renúncia de Mandetta e o novo ministro da Saúde
No discurso de abertura, Teich fala sobre ‘foco das pessoas’ e associação com estados
17 de abril de 2020
A renúncia de Mandetta e o novo ministro da Saúde
Brasil tem 2.141 mortes e 33.682 casos de coronavírus, diz ministério
17 de abril de 2020

A renúncia de Mandetta e o novo ministro da Saúde

A renúncia de Mandetta e o novo ministro da Saúde

Luiz Henrique Mandetta dirigiu o Ministério da Saúde durante um ano e um mês: a partida se produz despesa de desgaste com o Presidente da República.

Uma disputa que habita o estado de ocorrência durante semanas, gera um resultado predeterminado a partir da tarde. O presidente Jair Bolsonaro destituiu o ministro de Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em uma medida que pode ter um lugar menor que o normal, mas pode ser porque ele é o exército militar do governo que usa o estado de Mandetta. Em caso de embargo, um pesar de trabalho superior que o ministro usa como condição para o Brasil sobe esse período crítico, por exemplo, excluindo informações sobre a pensão, fortalecendo o vermelho de hospitais e tratando a administração da notória deficiência do país em aposentadoria para identificar os contaminados, destacar as divergências entre o presidente e o ministro, especialmente na relação com os temas: uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de Covid-19; e o tipo de design que considera necessário para contornar as coronavírus se intenta evitar a explosão do desempacotamento e o colapso dos negócios.

No embargo, a entrevista de Mandetta com o programa Fantástico da Rede Globo, transmitida no domingo por noite, parece ter sido a gota de colmo do vaso, inclusive para aquários que habitam o candidato a Bolsonaro que se pergunta com o ministro, e que se você vier no palabras de Mandetta praticamente um ato de insubordinação, você terminará de reafirmar os desacordos com o poder do Poder Ejetivo. Uma vez que você definiu o substituto, o Presidente da República se referiu a seu ex-ministro, durante um discurso no Palácio do Planalto, em términos e muito mais sobre os que são implantados na crítica pública pública que afeta o país Mandetta todavía parte de seu equipamento.

Despachos de faixas, amenidades e frituras, todo o Brasil que é necessário que seja o presidente e o ministro de saúde na justiça

O mestre da lucha contra a pandemia agora está no oncologista Nelson Teich. O aplicativo da comunidade médica para o próximo, incluindo a Associação Médica Brasileira (AMB), é uma agência de notícias e mantém a linha de citações técnicas que marcará parte do ministério de Bolsonaro. Ser gravado que o primer nulo que é operado como sucessor de Mandetta, do Diputado Osmar Terra (MDB-RS), que também é autorizada, em uma conversa telefônica filtrada, ajuda no Ministro da Cidade, Onyx Lorenzoni, “Corte a cabeza” de Mandetta, uma pesagem de segurança na segurança que não é necessária no serviço indicado. Por muito que o Terra também seja médico do mar, esta é uma citação política e bastante controversa, deduzidas da divulgação do diálogo com Lorenzoni.

Bolsonaro no podrá declarar que não sabe o que é mais importante sobre estratégias contra o coronavírus. O oncologista publicou vários artigos sobre o tema, incluindo a defesa de que, neste momento, o sinal social horizontal horizontal indicando a melhor opção e as debilidades existentes na adoção do indicador vertical. Sem embargo, o novo ministro e habituado a escrever sobre a necessidade de conhecer a visão da saúde com a preocupação da economia e do lugar. No discurso pronunciado no Planalto, o presidente e o ministro mostram o resultado da convergência. Bolsonaro, por exemplo, qual o retorno para a atividade econômica sem debêntures “lo antes posible”, sino de uma maneira que garante o controle do dinheiro. Teich, por sua vez, defendeu a continuação das políticas de execução reais, adicionadas a elas, uma medida que recebe mais dados, será possível definir as pautas para as semanas e meses recentes.

Despachos de semanas, indicadores e frases, todo o Brasil que é necessário para o presidente e o ministro da saúde trabalhando na área de saúde, atentos aos números de pandemia e economia, e as experiências exóticas dentro e fora do país. Cada troca de cartão com a opção de avión tem problemas, mas o Mandetta também pode comprometer uma transação nos problemas. Por muito que os desacatados hayan consideram que a permanência no mar inviável, é hora de reconectar o logado e esperar que o sucesor se desempenhou também.

fonte: https://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/editoriais/demissao-mandetta-ministro-saude-nelson-teich/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: