Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais

Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais
Mourão diz que não se incomoda com críticas a C. Bolsonaro: “Ele está certo”
23 de junho de 2020
Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais
Calendário para o lançamento da terceira parte da ajuda de emergência
23 de junho de 2020

Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais

Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais

Senado para votar na terça-feira PEC adiando eleições municipais

Espera-se que o Senado vote na terça-feira (23) a emenda proposta à Constituição (PEC) que adia as eleições municipais deste ano devido à nova pandemia de coronavírus.

De acordo com o calendário eleitoral, a primeira rodada será em 4 de outubro e a segunda rodada em 25 de outubro. O relator do PEC, Weverton Rocha (PDT-MA), argumenta que a primeira rodada deve ser adiada para 15 de novembro e a segunda para 29 de novembro .

Por se tratar de uma emenda constitucional, o texto passará por duas rodadas de votação, o que deve acontecer nesta terça-feira, e precisa dos votos favoráveis ​​de pelo menos 49 senadores em ambas as votações. Se aprovado, o texto irá para a Câmara dos Deputados.

O adiamento das eleições passou a ser discutido pelo Congresso Nacional, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e por especialistas devido à pandemia. As autoridades de saúde recomendam, como medida preventiva, por exemplo, isolamento social.

No entanto, a eventual mudança de data não é um consenso entre os parlamentares. Um grupo defende manter as datas; outro defende as eleições em dezembro; e um terceiro defende um adiamento até 2021, que estenderia os mandatos de prefeitos, deputados e vereadores.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, afirma que há “consenso” sobre o adiamento, a partir deste ano. Isso porque, em sua opinião, a possível extensão dos mandatos pode representar um “alto custo” para a democracia.

A idéia de estender os termos, embora popular entre os deputados, não conta com o apoio dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

2 de 2 O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, participou de uma sessão remota do Senado nesta segunda-feira (22) para discutir o possível adiamento das eleições de 2020 – Foto: Waldemir Barreto / ministro da Agência do Senado Luís Roberto Barroso, presidente do TSE participou de uma sessão remota do Senado nesta segunda-feira (22) para discutir o possível adiamento das eleições de 2020 – Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado

Novas datas

Ao participar de uma sessão do Senado na segunda-feira, na qual foi discutido o possível adiamento, Luís Roberto Barroso propôs que as eleições fossem realizadas entre 15 de novembro e 20 de dezembro. Barroso enfatizou, no entanto, que a definição de adiamento e datas depende da Câmara e O senado.

Barroso também solicitou que a proposta a ser aprovada pelo Senado dê espaço à Justiça Eleitoral para que, mesmo com o adiamento, haja a possibilidade de outro adiamento em algumas cidades onde a situação da pandemia é mais preocupante.

O presidente do TSE também disse que se opunha às mudanças nos termos eleitorais que já haviam terminado, como os da afiliação partidária; fixar domicílio eleitoral; e alguns casos de desconforto.

Barroso também se manifestou contra o adiamento do prazo para o registro de candidaturas (15 de agosto), que, segundo o ministro, poderia inviabilizar o julgamento das objeções das candidaturas. Este ponto continua sendo uma questão de desacordo entre os senadores.

O magistrado acrescentou que, caso as eleições fossem adiadas, alguns termos também seriam alterados, como os de horas eleitorais livres no rádio e na televisão e a convocação de funcionários eleitorais.

Votação opcional

Na sessão de segunda-feira, também foi discutida a possível expansão de casos de votação opcional, incluindo, por exemplo, grupos mais vulneráveis ​​ao Covid-19, uma doença causada pelo coronavírus.

Barroso disse que no “mundo ideal” a votação seria opcional, mas no “mundo atual” a votação deveria estar correta e deveria.

fonte: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/06/23/senado-deve-votar-nesta-terca-feira-pec-que-adia-eleicoes-municipais.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: