Remdesivir: o que sabemos sobre a nova promessa contra o coronavírus

Remdesivir: o que sabemos sobre a nova promessa contra o coronavírus
O estado confirma a décima quarta morte e mais 22 casos de Covid-19 no sul de MG; mais de 300
6 de maio de 2020
Remdesivir: o que sabemos sobre a nova promessa contra o coronavírus
Uruguai aumenta controle de fronteira ‘preocupado’ com coronavírus no Brasil
6 de maio de 2020

Remdesivir: o que sabemos sobre a nova promessa contra o coronavírus

Remdesivir: o que sabemos sobre a nova promessa contra o coronavírus

A FDA, a agência que regula os medicamentos nos Estados Unidos, aprova a urgência do uso de antivirais remédios no tratamento de casos graves de Covid-19, a medicação usada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). O medicamento, da empresa farmacêutica Gilead, se descreve como um agente de combate à ébola, perdendo-se de óxido.

A liberação nas séries da América do Norte está suspensa por modestos benefícios demonstrados em um estúdio com resultados preliminares. Agora, existe a preocupação de que o medicamento se eleva mais rapidamente no caso de solução contra a pandemia. E incluindo os dados disponíveis, não permitimos que cura os pacientes.

“Se você publica mais pela urgência que por evidências concretas da sua eficácia”, comentou Renato Grinbaum, consultor da Sociedade Brasileira de Enfermeiras Infecciosas (OSI).

Vayamos está disponível na ciencia sobre seu potencial. Em uma investigação que incluiu 1.063 pessoas com casos graves de enfermos, o uso de medicamentos e o tratamento com placebo, desmonte o estado prometido no hospital em 31%. É decir, de 15 a 11 días. Você pode baixar os sistemas de saúde, lo cual es bueno.

Também concentramos uma variação na tarefa de mortalidade nos grupos: 8% entre os que tomam o medicamento e 11,6% entre os que não estão no hospital. Pero mucha atención ahora: esta diferença não tem valor estatístico, está dentro da margem de erro da investigação. Em outras palavras, neste experimento, não é possível reduzir o número de alterações na comparação com o placebo.

O estúdio realizado pelo Instituto Nacional de Alergias e Enfermeiras Infecciosas (NIAID), nos Estados Unidos. No se ha publicado oficialmente hasta ahora. Os resultados preliminares mostram um comunicado de imprensa, com comentários do diretor da entidade, Anthony Fauci, diretor de pesquisa Anthony Fauci, que também retornou a podridão convertida em “o tratamento estático” para Covid-19.

Vale a pena mencionar que, sem publicação em uma revista científica, os especialistas não consultados verificar minuciosamente as qualidades e limitações de um estúdio.

Evidencia controvertida de remdesivir contra coronavirus

A promessa da época, você demonstrou que inibe a replicação do Sars-CoV-2 em células autorizadas no laboratório e em animais. Adição dos resultados do NIAID, outros estudos sobre seres humanos com resultados contraditórios, sobre as discussões atuais sobre o tema.

Uno, publicado na revista científica The Lancet, também comparou o medicamento com um placebo. Neste caso, use 200 voluntários China. Conclusão: o medicamento não ayudó no tratamento. Sem embargo, a investigação se interrompe pela falta de pacientes, que limita os resultados dos resultados.

Otra investigação, financiada pelo farmacêutico Gilead, fabricante de computadores, reuniu 50 pessoas de diferentes países. E indica uma melhoria em mais de 68% dos voluntários. Sem embargo, nenhum grupo de controle central toma um outro medicamento ou um placebo, o que dificulta a avaliação da eficácia. Los resultados fueron publicados no The New England Journal of Medicine.

“Necesitamos mais dados para conclusões importantes sobre o medicamento, qual o tipo de medicamento que devo promover e quais as situações em que é aplicada. Em outras palavras, você deve tomar muito cuidado antes de tomar uma decisão sobre o uso ”, comentou Natália Pasternak, biologia e presidência do Instituto Questão de Ciência.

O estúdio NIAID pode exibir uma luz clara sobre os recursos valiosos: um grande número de participantes e um grupo de controle que toma um placebo. Pero tendrá que verlo na totalidad e otros científicos lo revisado para garantir ello. Em um comunicado, o proponente Gilead indica que feno de dados está disponível sobre o efeito de recuperação em humanos e não sabe se é seguro e eficaz para o tratamento de Covid-19.

O Ministério do Saúde do Brasil também anula que está prescrevendo ensaios clínicos com o medicamento. A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, incluiu o Solidarity, uma megainvestigação internacional para encontrar um tratamento contra o novo coronavírus.

Cómo actúa remdesivir

Primeiro teste executado durante a epidemia de Ébola que ocorrerá entre 2013 e 2016, ação remissiva sobre a multiplicação de Sars-CoV-2. “Inibe a enzima ARN polimérica, que transcreve e replica o material genético do vírus”, explica Fernando Spilki, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia.

Um peso considerado seguro em geral, existe a possibilidade de doença renal e hepática em algas. “Perdoe o estudo de que os estudos solo são avaliados em pacientes graves em estado grave, porque no estado em que há mais fatores podem causar essas reações”, diz Spilki.

O mesmo que outros antivirais para outras enfermarias, é possível que o mar remosivir seja mais eficaz no início da enfermaria, antes do agente infeccioso causar estragos no cuerpo. Pero esta é uma hipóteses que precisa ser justificada.

O medicamento se aplica na veia, que depende de uma viagem ao hospital. Além disso, todavía no se fabrica a gran scale. Gilead anula a doação de todas as existências e doses e é a produção em países que avaliam o uso experimental de ingredientes ativos. É suficiente para tratar 140.000 pessoas.

¿Uma espécie de Tamiflu?

Inclusão e remoção de dados efetivos, sem resolver o problema sozinho. “É importante que você cuide de um tratamento ideal, sem implicações individuais, que elimine o vírus, mas também reduza o número de casos que causam o dano e a reação inflamatória desencadeada pela infecção”, enfatiza Spilki. Para evitar essas conseqüências, o hecho, está sendo testado em outras classes de medicamentos, como antiinflamatórios e anticoagulantes.

O virólogo compara o Tamiflu, uma famosa famosa que funciona contra a gripe, o vírus que causa a queixa. “Se você aparecer pela primeira vez, se não tiver mais problemas com a queixa, não conseguirá ver o medicamento não resuelve 100% dos casos”, comenta.

Se os benefícios deste medicamento estão realmente provados, é provável que, no futuro, forme uma espécie de cocção contra o Covid-19. Cada medicamento neste protocolo hipotético atua sobre as diferentes repercussões da doença, de acordo com a gravidade e as características de cada pessoa.

fonte: https://saude.abril.com.br/medicina/remdesivir-promessa-coronavirus/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: