Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito

Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito
Moraes ordena que a pasta Health libere os dados da pandemia novamente
9 de junho de 2020
Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito
A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social
9 de junho de 2020

Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito

Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito

Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito

O ministro da Saúde em exercício, general Eduardo Pazuello, explicou hoje que o governo do presidente Bolsonaro “buscou números reais” sobre os casos e mortes da covid-19 e “nunca mudou os dados”. Segundo ele, o sistema proposto, que começou a operar no domingo, demorou a ficar pronto.

“Os números nunca mudam. Estávamos procurando o número real para evitar a subnotificação e não a hipnotificação”, disse o interino durante a reunião do Conselho Ministerial de hoje em Brasília.

Como o governo divulgou os dados foi questionado após uma divergência nos números publicados no site do Ministério da Saúde no último domingo sobre mortes nas últimas 24 horas. No início, anunciou 1.382 mortes, mas depois mudou o número para 525, uma redução de 857. Somente ontem o governo explicou o erro.

“Os dados devem estar completos e sem nenhuma dificuldade de acesso. Começamos a trabalhar há 20 dias, mas levo muito tempo para criar esse modelo. A eterna pergunta: quando os dados serão atualizados? 24 horas. atualização, é porque a atualização não chegou. Não há tempo, se são 16:00, 17:00, 20:00, a hora em que chega é compilada. Quanto mais cedo os dados chegarem, mais cedo eles estará lá “, disse Pazuello.

Ele também explicou que as mortes confirmadas chegam ao sistema através do registro de óbitos e que, através do sistema adotado desde domingo, o governo quer contabilizar “números reais” de mortes naquele dia, e não um total que cause mortes que ocorreram em outros dias. , mas isso só foi gravado mais tarde, com outra data.

“Quando olhamos para o registro, ele tem a data da morte. Não tem nada a ver com a alteração de números, as mortes são registradas. Mas o registro para esse dia não significa que a morte ocorreu naquele dia. Em seguida, corrija os dados anteriores e então você entende a curva. Se lançarmos no dia em que a pessoa morreu, teremos a curva mais precisa. Estávamos procurando os números reais “, acrescentou.

Vale lembrar que, em resposta à decisão do governo de Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, o UOL, o Estado de S. Paulo, a Folha de S.Paulo, a Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio a trabalhar em colaboração para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, através do Ministério da Saúde, deve ser a fonte natural desses números, mas as atitudes recentes das autoridades e do próprio presidente questionam a disponibilidade dos dados e sua precisão.

fonte: https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/06/09/pazuello-promete-dados-completos-sobre-coronavirus-e-diz-que-modelo-demorou.htm

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: