Bolsonaro recebe advogado de seu filho Flavio no caso Queiroz
26 de abril de 2020
Avião da China com 90 toneladas de testes Covid-19 e material hospitalar aterra em Fortaleza
26 de abril de 2020

Paulo Guedes está sob pressão do governo

Ministro de Economia, Paulo Guedes (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

Considerado entre bastidores como a “bola do ano” de graça no governo, ministro da Economia, Paulo Guedes, mostrada em desacordo com os colegas da Explicação e expressa a oposição ao plano econômico anunciado na semana passada para o período posterior a la pandemia del coronavirus. Na última conversa com o Ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, no Palácio do Planalto, acusou o ex-assistente de interpolação do envolvimento do Banco Central na crise e na política de interesses.

O diálogo permite que você cuide dos ministros, sempre descontados, se reúnem para o discurso do presidente Jair Bolsonaro nas eleições, luego da renúncia de Sérgio Moro do Ministério de Justiça e Segurança Pública. O desacoplador que involui a outra “administração” do governo, mais combustível no combustível da crise política que enfrenta o presidente.

Despacho de Luiz Henrique Mandetta, cancelado por Saúde e Moro, Guedes entra no processo de “livre” desencadeado por uma ala do governo por insistir no discurso de mantenedor na política de ajuste fiscal. O presidente está disposto a dar uma olhada no “caballo de madera” e apostar no Plan Pro-Brasil, baseado em obras e inversões com o público público, para recuperar o país na fase posterior à pandemia. Este câmbio de moeda também implica diretamente nos parlamentos de Centrão, um bloco informal do Congresso que não é a guiana guiada e afeta o aumento do gasto público.

Detrás de Escena, a área econômica com uma articulação de Marinho com parlamentares para poner em Guedes o sell de insensible com los pobres. O Ministro da Economia respondeu às críticas sugerindo aos interlocutores que a idéia de criar ayuda de emergência para os trabalhadores informações cirúrgicas é combinada com o presidente para aumentar o montante e o valor total de R $ 600.

As especulações do mercado sobre uma possível partida de Guedes aumentam as taxas de renúncias a Mandetta e Moro fueron motivadas pela interferência do presidente nas carteras. A ideia de que agora existe na arena política é guedes aceita a interferência de Bolsonaro nas ações. Os antigos colegas de esplanada no aceptaron.

Ao pesar a presidência, o ministro seleciona os interlocutores que não têm a intenção de abandonar a carga, perdem a capacidade de interferência cambial na política econômica de aumentar as inversões para a iniciativa privada.

Contrapunto

Os assistentes administrativos de Bolsonaro, que dominam a “visão fiscal” do Ministério da Economia e a falta de um componente econômico dentro do governo, como existe antes da criação do superministério público Guedes.

Despachos de tomar as empresas de negociação com o Congresso na reforma das aposentadorias do ano passado, mantendo a Todavía sendo avaliada por Guedes, Marinho, ganhando a confiança de Bolsonaro. Criado como ministro, se integra a um grupo de assistentes mais cercados pelo presidente.

Na reunião das visões no Planalto, o Marinho pretende uma conversa com o Guedes, sem gastar muito. Segmento periódico O Estado de S. Paulo, Ministro da Economia, ex-assistente de solo que falava com “no foro qual qualificado”, é decir, em reuniões ministeriais. “Não há nada de hablarles”, adiantou o ministro. Marinho no choque.

O Ministro da Economia, incluindo o presidente do BC, Roberto Campos Neto, também presente no discurso de Bolsonaro, para mostrar o “nome” do Plano Pro-Brasil, anunciado no equipamento econômico, no mercado e no mercado. el valor. das empresas brasileiras, bandeja incertida no futuro da economia. O dia em que o lanzó planeja, o dólar subiu, as tarefas do banco de dados do largo abriram um alza e o mercado bursátil cayó.

Guias e equipe de equipamentos internamente no plano Pro-Brasil “PAC do Marinho”, em referência ao Programa de Aceleração do Crecimiento (PAC) para obras públicas dos gobiernos do PT. O ministro diocesano dos auxiliares do Marinho foi o coordenador do programa e “uno por uno” dos ministérios para que compreendem a idéia e os bombeiros de uma Proposta de Constituição Constitucional (PEC) “que adira ao limite de gastos”, afirma fiscal que impacta o gasto decorrente da inflação.

Para os interlocutores, o Marinho que captura Guedes faz frente ao BC e indica a ruptura. A expectativa na parte do gobernador é que gera uma convergência de idéias sobre a necessidade de inversões públicas para a recuperação econômica após a crise, se você está haciendo em todo o mundo debitado no aumento da aversão à crise. O prefeito ejemplo, na avaliação dos defensores deste cenário, é a decisão do Boeing de dejar de comprar a Embraer. O Ministério do Desenvolvimento Regional que não dispõe de indisposição entre Rogério Marinho e Paulo Guedes. El Ministerio de Economía no hizo comentarios.

O seu novo artigo? Clique aqui para assinar um novo boletim e receber mais conteúdo.

fonte: https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2020/04/paulo-guedes-se-encontra-sob-pressao-no-governo.html

Os comentários estão encerrados.