Os cientistas descobriram os segredos do antigo “mecanismo anti-antéraa”

Os cientistas descobriram os segredos do antigo "mecanismo anti-antéraa"

Artigo originalmente publicado por Vice em inglês.

No início dos anos 1900, um grupo de mergulhadores que buscava esponjas na costa de Anticitera, uma ilha grega do mar Egeu, descobriu um afundamento da era romana que continha um artefato destinado a modificar radicalmente nossa compreensão do velho mundo.

Conhecido pelo nome de antecipar o mecanismo, o objeto é uma calculadora astronômica altamente sofisticada, fabricada há mais de 2000 anos. Desde a recuperação do naufrágio em 1901, as gerações de pesquisadores ficaram surpresos com sua incrível complexidade e seu funcionamento impenetrável, o que lhe rendeu a reputação de ser o primeiro computador analógico conhecido no mundo.

Propaganda

As engrenagens e marcas do dispositivo demonstraram cumulativamente os movimentos dos planetas e do sol, as fases do calendário lunar, a posição das constelações do zodíaco e até a realização de eventos esportivos, como os antigos Jogos Olímpicos. O dispositivo também reflete uma idéia muito antiga do cosmos, com a Terra no centro.

Embora os pesquisadores tenham resolvido alguns dos Mimées da calculadora durante o século passado, cientistas da equipe de pesquisa antículos da Universidade do London College apresentaram “um modelo radicalmente novo que coincide com todos os dados e culmina em uma exposição em uma exposição elegante do antigo cosmos grego ”, de acordo com um estudo publicado recentemente em relatórios científicos.

Dirigido por Tony Freeth, engenheiro mecânico da UCL e um especialista global excepcional no mecanismo, a equipe interdisciplinar chamada de artefato “Uma antiga coleção astronômica grega de uma ambição incrível” e “Um belo design, traduzido por uma engenharia arrogante para um dispositivo que ele Ooys Genius ”, no estudo.

“É um dispositivo muito especial”, disse Adam Wojcik, cientista de materiais da UCL e do estudo. “Isso é algo que está fora deste mundo, dado o que sabemos, ou sabíamos, sobre a tecnologia grega contemporânea. É único e há apenas abordagens de distância por séculos, ou talvez milênios mais tarde.» »

Propaganda

“No entanto, e todo o conhecimento indica que sua origem é o ex -grego”, acrescentou Wojcik, que ficou fascinado pelo artefato desde que era criança. “Não há dúvida sobre isso e devemos simplesmente aceitar que há muitas coisas que [os gregos] poderiam ter desenvolvido que simplesmente não sabemos e não podemos entender. O mecanismo é uma janela para isso.» »

Por um longo tempo, o entendimento da instrumentação do mecanismo antecipado foi um desafio para os cientistas, porque apenas um terço do artefato poderia sobreviver ao seu funeral de vários milênios sob as ondas do Mediterrâneo. Os restos da calculadora incluem 82 fragmentos, alguns dos quais contêm engrenagens e inscrições complexas que estavam anteriormente escondidas, que estavam presas entre a frente e o lado posterior durante o tempo em que o artefato estava completamente intacto.

À medida que surgiram novas técnicas experimentais, as equipes de pesquisa conseguiram explicar a meta e a dinâmica da superfície posterior do mecanismo antecipado, que inclui um sistema de previsões de eclipses. Em particular, a tomografia computadorizada de alta resolução de alta resolução realizada no artefato – descrito em um estudo de 2006 também liderado por dezenas de inscrições reveladas – reveladas dezenas de inscrições nunca vistas antes que constituem um guia útil para o uso do mecanismo.

Propaganda

Freeth e seus colegas pensam que descobriram o funcionamento da parte que faltava o quebra -cabeça: as engrenagens subjacentes complicadas na frente do “cosmos” da calculadora. Infelizmente, não há nenhum elemento dessa seção frontal sobreviveu e “nenhuma reconstrução anterior chegou a fazer com que os dados existentes coincidam”, de acordo com o estudo.

O novo documento “sintetizou o trabalho de outras pessoas e abordou todas as pontas soltas e as nuances desconfortáveis ​​que os outros simplesmente ignoraram”, disse Wojcik. “Por exemplo, existem certas características das peças que sobreviveram – guardas e pilares e coisas assim – que as pessoas disseram:” Bem, nós as ignoraremos em nossa explicação. Eles devem ter uso, mas não sabemos o que é, então vamos simplesmente ignorá -los. ”

“De fato, o que fizemos é ignorar qualquer coisa”, acrescentou. “Então, de repente, os pilares e os orifícios enigmáticos agora fazem sentido em nossa solução. Tudo converge e cumpre as evidências de inscrições. »»

As inscrições do estudo de 2006 sugerem que a parte que faltava o cosmos era um conjunto de anéis de movimento que atraem o movimento de Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno – um representado por uma pequena jóia – com a trajetória do sol, as fases de a lua e as posições das constelações do zodíaco. Além de estudar essas inscrições, os pesquisadores criaram simulações de computador e réplicas parciais do dispositivo para testar seu novo modelo.

Propaganda

Uma das maiores indicações nasceu da análise realizada em 2016, que revelou inscrições na cobertura frontal, que incluíam dois valores, 462 anos e 442 anos, que os criadores do mecanismo associado a Vênus e Saturno. Os pesquisadores foram capazes de identificar uma possível fonte desses números, derivados do trabalho dos filósofos do pressocrático.

Esses valores são cálculos realizados na antiga Grécia dos períodos sincódicos dos planetas, o que significa que eles representam o tempo que os planetas levam para retornar à mesma posição aparente no céu, vista da terra, de acordo com o estudo isto.

Um modelo de computador ampliado do mecanismo funcionará. Imagem: 2020, Tony Freeth

Os ciclos foram complicados pela velha crença de que a Terra estava no centro do sistema solar. Esse viés geocêntrico exigia a invenção de modelos complexos para explicar o movimento retrógrado dos planetas: um fenômeno no qual os planetas parecem retornar a círculos ocasionais. O efeito é uma ilusão de ótica que ocorre quando os planetas que se movem mais rapidamente superam suas contrapartes mais lentas durante suas órbitas ao redor do sol, mas os gregos projetaram mecanismos e ciclos complexos para encontrar explicações alternativas.

Os ciclos sincódicos que foram revelados para Vênus e Saturno permitiram que a equipe realizasse a engenharia oposta de um sistema de velocidade com a quantidade certa de dentes para produzir o tipo de movimento planetário descrito nas inscrições, incluindo seus movimentos retrógrados, que foram implantados em a parte da frente. Seria uma tarefa relativamente fácil para um planeta, mas para representar os cinco planetas conhecidos, era necessária a intervenção de engenheiros extremamente engenhosos.

Propaganda

“Se você vai mostrar todos os planetas, é necessário ter todas as suas posições corretas”, disse Wojcik. “Quando você gira a alça na lateral do mecanismo, esses pequenos planetas começam a se mover como um relógio nesse tipo de mini-planetário e, às vezes, um deles se vira, depois se retira novamente. Então outro, além disso, começa a começar a volte. “”

“Mas a qualquer momento, quando você para a máquina, precisa se dar uma reprodução bem -sucedida dos céus, porque esse é o objetivo da máquina”, disse ele.

Para recriar esse efeito em seu modelo, a equipe deduziu os ciclos de outros planetas de acordo com os dados de Vênus e Saturno e projetou um sistema de equipamentos elaborados que poderia reproduzi -los. Todo o mecanismo de engrenagem foi otimizado para se adaptar meticulosamente em um pequeno espaço entre as placas dianteiro e traseiro.

A reconstrução digital do artefato é excepcionalmente complexa, eles devem, portanto, ver o documentário incluído no início do artigo para ver as visualizações de todas as engrenagens, botões, pratos e beliche que o equipamento acredita que eles combinam neste incrível computador astronômico .

O novo estudo revela uma representação espetacular do mecanismo completo, que está mais próximo de uma recriação bem -sucedida da combinação de todas as peças estranhas do quebra -cabeça do que qualquer modelo anterior. Mas isso não significa que o artefato revelou todos os seus mistérios.

Freeth, Wojcik e seus colegas agora esperam reproduzir a máquina de seu modelo usando a tecnologia disponível para seus criadores gregos, que apresenta um enorme desafio e um novo capítulo fascinante na saga do mecanismo anti-vida.

“É tão notável em termos de precisão e capacidade de fabricação que não parece estar de acordo com o que pensamos que os gregos poderiam ter alcançado”, disse Wojcik. “Mas devemos aceitar que é assim que a máquina funcionou, e os gregos o fizeram”.

fonte: https://www.vice.com/es/article/pkd57k/cientificos-descubrieron-los-secretos-del-antiguo-mecanismo-de-anticitera

Os comentários estão encerrados.