Nos 50 anos da “guerra contra as drogas” em #Dromafest

Nos 50 anos da "guerra contra as drogas" em #Dromafest

Artigo fabricado em parceria com dremmons

Eu cresci em uma casa onde as drogas eram problemas. Ao longo da minha infância e adolescência, tive a ideia de que qualquer substância psicoativa era ruim. Não havia muito mais por trás desse raciocínio. Sem nenhuma explicação, reproduzi na minha cabeça e em minhas decisões um preconceito, estigma e discurso impostos por outras pessoas sem me perguntar o porquê.

Propaganda

Até que eu tinha 25 anos, eu disse não a drogas sem saber que Nancy Reagan havia estabelecido esse slogan chefe de milhões de pessoas na guerra contra narcóticos que seu marido, então presidente dos Estados Unidos, levou à expressão máxima nos anos 80.

Eu pensei que as drogas significavam dependência, problemas psicológicos, morte. Ninguém nunca explicou que há consumo responsável, que há uma redução de danos, que os medicamentos não são necessariamente ruins.

Como quase toda a minha geração, eu cresci sob um discurso de 50 anos amanhã. Em 17 de junho de 1971, Richard Nixon declarou drogas como “o inimigo público número 1 dos Estados Unidos”, no meio da Guerra Fria. Dois anos depois, a DEA foi fundada e, nas últimas décadas, vimos como a Colômbia, México ou Philipiaire iniciaram suas próprias guerras contra o tráfico de drogas.

Mas a guerra contra as drogas não tem nada a ver com drogas. Essa é uma das perguntas que talvez preconceitos, ignorância e desinformação possam ter causado. Isso me custou duas vezes no continente e ver que a violência e o crime organizado têm muito mais a ver com o controle do território do que com substâncias.

Durante o século XIX, quando foram descobertas morfina e cocaína, não foram proibidas drogas. Os médicos prescreveram opiáceos – e também cocaína – como um medicamento milagroso para asma, delírio de tremens, cólica menstrual, doenças gastrointestinais, dor de cabeça e dor em geral. O consumidor médio era uma mulher de classe média e, no catálogo Sears & Roebuck de 1890, uma seringa e uma pequena dose de cocaína foram oferecidas por US $ 1,50.

Propaganda

Entre o final do século XIX e o início do século XX, as drogas foram misturadas ao racismo: a cocaína foi usada para criminalizar os negros, especialmente o sul, da maconha a mexicanos e ópio para chinês, que ele décadas havia sido fundamental no trabalho das minas e na construção da ferrovia na costa oeste. Portanto, até hoje, há uma longa história da proibição que, portanto, deixou milhões de mortes e consumo mais problemático.

Alguns meses atrás, em Dromómanos, decidimos lançar o #DromOfest: do que estamos falando quando falamos sobre drogas para mudar a história. Para falar sobre música, humor, televisão, história, ciência e gastronomia, não apenas morto e tráfico de drogas.

Se você acha que sabe o que está acontecendo em seu país para assistir a séries e filmes de tráfico de drogas. Señita Bimbo falará sobre seu relacionamento com maconha, Jis e Trino fará um show em seu manual de doces, Alejandra Márquez Abella e Alfonso Dosal, vamos dizer por que amamos traficantes de drogas, Pedro Schiabino, Marsia Taja e Jaime Rodríguez, eles contarão O uso da folha de coca na cozinha, Jaime Monsalve explicará a relação de música e tráfico de drogas, Paul Gootenberg nos contará a história de drogas na América Latina e falaremos sobre o que aconteceria se as drogas fossem legais ou por que a região continua a apostar na militarização. Haverá cursos sobre consumo responsável e como falar sobre drogas com seus filhos. Falaremos sobre tudo isso quando falarmos sobre drogas.

Em Dromofest.org, haverá uma visita guiada à exposição do DPV: a guerra fracassada, mas se você estiver na Cidade do México, deve ir ao centro da imagem, para obter o olhar mais completo do universo das drogas, Políticas e violência na América Latina. A exposição, produzida por projetos VIST e curada por Claudi Carreras, é uma experiência única e inovadora que inclui música, quadrinhos, jogos interativos e trabalho fotográfico de mais de 20 autores.

fonte: https://www.vice.com/es/article/k7838x/de-los-50-anos-de-la-guerra-contra-las-drogas-al-dromofest

Os comentários estão encerrados.