Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores

Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores
O advogado do presidente explica a decisão do TSE
10 de junho de 2020
Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores
‘Cobre do seu governador, saia daqui’, diz Bolsonaro após ser questionado sobre o número de mortes por coronavírus.
10 de junho de 2020

Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores

Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores

Ministro do STJ vê evidências de que o governador do Pará direcionou irregularmente a compra de respiradores

O ministro Francisco Falcão, do Tribunal Superior de Justiça (STJ), disse que há indicações de que o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), ordenou ilegalmente a compra de respiradores para uso na rede hospitalar estadual, em meio à pandemia. do coronavírus.

O ministro autorizou a operação da Polícia Federal nesta quarta-feira (10), chamada Bellum, que aponta irregularidades na compra de equipamentos. A TV Globo teve acesso ao escritório de Falcão. Além de Barbalho, o secretário da Saúde, Alberto Beltrame, e os empresários também são alvos.

Para Falcão, existem evidências que apontam para a fraude de licitação e prevaricação (ato contra a administração pública) cometida pelo governador. O ministro disse que um possível ato de corrupção ainda não pode ser descartado.

“As várias evidências reunidas até agora indicam a direção da aquisição pelo governador e a subsequente criação de um processo de licitação com o objetivo de regularizar a aquisição que já havia sido feita e até paga”, escreveu o ministro.

Falcão disse ainda que as investigações mostraram o adiantamento de R $ 25,2 milhões para equipamentos “não utilizáveis”.

Outro ponto levantado pelo ministro é que “foi dada a indicação de favorecer a empresa contratada com a concessão de benefícios fiscais com relação ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS”.

Helder Barbalho é outro governador objetivo da PF, depois das declarações de Zambelli e Bolsonaro.

Bloqueio de ativos

Na decisão, o ministro também decretou o bloqueio de ativos por Barbalho, Beltrame e empresários. Imóveis, barcos, aviões e dinheiro foram declarados indisponíveis, em depósito ou em aplicações financeiras, pelo valor de R $ 25,2 milhões.

Ao justificar o bloqueio, o ministro afirmou que, em possíveis casos de corrupção, é necessário compensar as autoridades públicas pelos recursos desviados.

“Nos casos de crimes relacionados à corrupção, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, as medidas inseguras assumem um papel de destaque, uma vez que, nesses casos, a imposição da sentença de custódia é inofensiva sem a recuperação de ativos obtidos ilegalmente e o reembolso ao tesouro. ”

Versão investigada

Na manhã desta quarta-feira, Helder Barbalho disse em uma rede social que agiu a tempo de evitar danos ao tesouro “, uma vez que os fundos foram devolvidos aos cofres do estado”. O governador do Pará disse que estava calmo e disponível para qualquer esclarecimento necessário.

“Devido à minha determinação, o pagamento de outros equipamentos para a mesma empresa é bloqueado e o Governo entrou com uma ação pedindo indenização por danos morais coletivos contra fornecedores. Finalmente, esclareço que não sou amigo do empresário e, obviamente, não sabia que os respiradores não funcionariam “, disse ele.

Em nota, o governo do Pará declarou que “em nome do respeito ao princípio federal e zelo pelo dinheiro público”, reafirma seu compromisso de sempre apoiar a Polícia Federal no “cumprimento de seu papel em sua esfera de ação”.

O governo do estado disse ainda que “o recurso pago no início da compra de respiradores foi reembolsado aos cofres públicos por ação do governo do estado. Além disso, o governo entrou com um pedido de indenização por danos morais coletivos contra o equipamento” vendedores “”

fonte: https://g1.globo.com/pa/para/noticia/2020/06/10/ministro-do-stj-determina-bloqueio-de-bens-de-governador-do-pa-em-investigacao-sobre-compra-de-respiradores.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: