Milhares protestam em Hong Kong; a polícia responde com prisões

A chegada de petroleiros iranianos à Venezuela aumenta a tensão com os Estados Unidos
A chegada de petroleiros iranianos à Venezuela aumenta a tensão com os Estados Unidos
25 de maio de 2020
Goiás assina protocolo de intenções com 24 empresas
Goiás assina protocolo de intenções com 24 empresas
25 de maio de 2020

Milhares protestam em Hong Kong; a polícia responde com prisões

Milhares protestam em Hong Kong; a polícia responde com prisões

Milhares protestam em Hong Kong; a polícia responde com prisões

Manifestantes pró-democracia presos pela polícia no distrito de Causeway Bay em Hong Kong em 24 de maio de 2020

A região autônoma de Hong Kong retomou protestos nesta manhã de domingo (24) contra o Partido Comunista Chinês, após o anúncio de que o país planeja uma nova lei de segurança nacional para a cidade semi-autônoma. Os atos confrontaram manifestantes e a polícia local. A manifestação desafia as regras de distanciamento social do país.

Manifestantes pela democracia se reúnem no distrito de Causeway Bay em Hong Kong em 24 de maio de 2020 | Foto: ISAAC LAWRENCE / AFP | ISAAC LAWRENCE / AFP

Veja também: Entenda por que há uma nova onda de protestos em Hong Kong

A polícia usou gás lacrimogêneo, canhões de água e spray de pimenta para dispersar milhares de manifestantes pelo distrito. Mais de 120 prisões foram feitas às 17h. hora local, disse a polícia.

Polícia dispara gás lacrimogêneo contra manifestantes durante protestos em Hong Kong em 24 de maio | Foto: ISAAC LAWRENCE / AFP | AFP

As tensões aumentaram na cidade desde a China na quinta-feira passada, sinalizando que implementaria unilateralmente leis contra a subversão e o terrorismo, bem como conluio com forças estrangeiras, a quem Pequim culpa por provocar protestos maciços no ano passado.

Grupos pró-democracia em Hong Kong disseram que a decisão de Pequim de ignorar o governo local e o legislador violou sua promessa de “um país, dois sistemas”, conforme acordado com o Reino Unido quando o território foi devolvido em 1997. Sob esse acordo, ele prometeu a China defender até 2047 a autonomia do centro financeiro em questões como direitos, liberdade de expressão e reunião de pessoas.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse no domingo que a medida adotada pelo governo central visa a “pequena minoria” cujas atividades minam seriamente a segurança nacional. “Isso não afeta o alto grau de autonomia de Hong Kong, não afeta os direitos e liberdades dos residentes de Hong Kong, nem afeta os interesses legítimos dos investidores estrangeiros em Hong Kong”, disse ele. A líder de Hong Kong, Carrie Lam (pró-Pequim), disse que apóia a nova legislação e que a regra garantiria estabilidade e prosperidade na cidade.

Veja também: China aumenta pressão sobre Macau e Hong Kong enquanto ameaça Taiwan

fonte: https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/milhares-protestam-hong-kong-repressao/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: