Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro

Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro
Uma ilusão que durou mais de duas décadas no Rio Grande do Sul termina
21 de maio de 2020
Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro
Mário Frias apresentou um programa de televisão ao governo antes de ser chamado como secretário
21 de maio de 2020

Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro

Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro

Mario Frias assumirá a Secretaria Especial de Cultura, confirmam aliados de Bolsonaro

BRASÍLIA – O ator Mario Frías aceitou o convite de Jair Bolsonaro para assumir a Secretaria de Cultura, dizem os aliados do presidente. Ele substituirá a atriz Regina Duarte, responsável pela Cultura, e deverá trabalhar em Brasília. A data em que o ator deve assumir o cargo ainda não está definida.

Perfil: Mario Frias, convidado a substituir Regina Duarte em Brasília

Nesta quarta-feira, Mario Frías almoçou pelo segundo dia consecutivo com Bolsonaro no Palácio do Planalto e, em um ambiente descontraído, falou sobre futebol e comentou sobre o almoço do dia anterior, com a presença de presidentes de clubes do Rio de Janeiro. , como Vasco e Flamengo. Mais tarde, de acordo com uma atualização da agenda oficial do presidente, Bolsonaro e Frías se encontraram novamente entre as 17h. e 17:15

Ao avaliar os aliados de Bolsonaro, a posição de Mario Frias em defesa do presidente em um recente debate sobre a CNN Brasil conquistou Bolsonaro. O ator gravou vídeos pró-governo e se colocou à disposição para ajudar.

Anteriormente, Mario Frias havia deixado uma mensagem no Instagram que também mencionava o vídeo do debate e na lenda que ele escreveu: “Para quem ainda não entende, vou deixar o mais claro possível: esse é Jair Bolsonaro”.

Análise: Bolsonaro mantém o “conveniente” esvaziamento da cultura mudando seu comando a cada dois meses

Frías assume o portfólio, tendo que enfrentar imediatamente a descrença e as pressões da classe artística em meio a uma forte crise forçada pela pandemia de coronavírus. Comentando a partida de Regina Duarte e o convite para Mario Frias, a atriz Maitê Proença disse:

– Deixa pra lá. Será mais uma marionete. Se é uma boa marionete, dura, se não, cai.

Será o quinto nome a liderar a Cultura em menos de um ano e meio sob Bolsonaro. Antes de Regina, o portfólio já havia passado por Roberto Alvim, Ricardo Braga e Henrique Pires.

‘Obrigado’ a Regina

Segundo pessoas próximas a Bolsonaro, nesta quarta-feira de manhã, a então secretária Regina Duarte adotou o presidente como alternativa de tomar a Cinemateca de São Paulo e deixar a Cultura. Os interlocutores alegam que Regina se ressentia de ter que morar em Brasília e estar longe de sua família em São Paulo.

Para os aliados, Bolsonaro reitera sua gratidão a Regina Duarte pelo apoio que recebeu dela durante a campanha presidencial e, apesar da guerra ideológica que enfrentou na Cultura, o presidente nega aos interlocutores que ele a demitiu. As demandas do presidente, segundo fontes, foram sua presença em Brasília, em uma participação mais ativa do governo na gestão do portfólio.

Famoso por ‘Malhação’

Frias está atualmente apresentando o programa de turismo “A Melhor Viagem” na Rede TV, mas a maioria do público se lembrará de seu tempo como protagonista da série adolescente “Malhação” no final dos anos 90.

Sua estréia na televisão foi em 1996, na série “Caça talentoso”, estrelada por Angélica. Após o sucesso em “Malhação”, Frias trabalhou em outras produções da Globo, incluindo “Como hijas de la madre” (2001) e “O quinta del infierno” (2002). Em “Senhora do Destino”, ela interpretou um de seus personagens mais importantes, o corrupto congressista Thomas Jefferson.

Mário Frias de 1999 a 2020 Foto anterior Foto seguinte Foto de Mário Frias: Arquivo pessoal (Facebook) Mário Frias em 1999, primeiro papel importante em ‘Malhação’, com Priscila Fantin Foto: Divulgação ‘Tô de Férias’, com Mário Frias (2017 -18) Foto: Divulgação Mário Frias como Adonizedeque da novela “A Terra Prometida” Foto: Divulgação Mario Frias no ‘Verão 90’, 2019, com Nívea Stelmann Foto: Divulgação Skip PUBLICIDADE Mário Frias como vice corrupto em ‘Senhora do Photo de Destino: Divulgação Mário Frias em 1999 Foto: Sérgio Cabral / Divulgação / Sérgio Cabral Mario Frias em 2020, em entrevista à CNN Foto: Divulgação Mario Frias em ‘A Melhor Viagem’ da Rede TV (2019) Foto: Divulgação

Em Bandeirantes, ele apareceu em “Floribella” (2006) e em Record, “Bela e a feo” (2009) e “A Promised Land” (2016). Longe das novelas da Globo desde 2014, quando interpretou Renê em “Malhação”, Mario Frias voltou à emissora para participar do “Verão 90”, novela das 19h de Izabel de Oliveira e Paula Amaral, dirigida por Jorge Fernando, em 2019 .

O grande sonho de se tornar apresentador ocorreu em 2010, no programa de jogos da Rede TV “The Last Passenger”, além de um programa no universo do país, “Super Bull Brazil” (2012), na mesma estação. Em 2017 e 2018, ele apresentou o “Tô de Férias” da CVC no SBT.

Com o programa “Best Trip”, exibido no ano passado, além de trabalhar como apresentador, ele acumulou os papéis de diretor e produtor executivo, artesanato que vinha realizando desde que fundou sua própria empresa de produção de conteúdo.

Em seu perfil do Instagram (com 211.000 seguidores), Frías nunca escondeu sua admiração pelo presidente. Em 20 de abril, ele publicou uma entrevista com Bolsonaro na porta do Palácio do Planalto com o seguinte texto: “Não existe palhaço de intervenção! #Foramaia somos uma democracia consolidada … O maior presidente da história”

fonte: https://oglobo.globo.com/cultura/mario-frias-vai-assumir-secretaria-especial-da-cultura-confirmam-aliados-de-bolsonaro-24437595

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: