Gilmar Mendes rejeita ação de Eduardo Bolsonaro e mantém CPI do Fake News

Gilmar Mendes rejeita ação de Eduardo Bolsonaro e mantém CPI do Fake News
Bolsonaro se opõe à AGU e diz que recorrerá a danos à PF: “Eu estou no comando”
30 de abril de 2020
Gilmar Mendes rejeita ação de Eduardo Bolsonaro e mantém CPI do Fake News
Moro diz a seus aliados para irem ao Fake News CPMI
30 de abril de 2020

Gilmar Mendes rejeita ação de Eduardo Bolsonaro e mantém CPI do Fake News

Gilmar Mendes rejeita ação de Eduardo Bolsonaro e mantém CPI do Fake News

“Os hechos comprados pelo IPC na bolsa de valores são relevantes para a preservação da nova ordem constitucional. No entanto, existe uma preocupação mundial preocupante pelos impactos que a difusão de estratégias de desinformação e notícias falsas causam nos processos eleitorais ”, diz o ministro na decisão.

Segue o diputado federal, a extensão da duração do trabalho “está no ponto de partida”. Para o STF, os registros de dano argumentado que usam irregularidades no progresso do IPC, como ignorar o enfoque da linha de investigação definida na solicitação de instalação da comissão.

“Se você solicitar uma decisão judicial preliminar, uma vez que permita a exclusão de políticos do Impetent, data da matrícula, e se materializar, se o pagamento for irreversível, uma despesa de manutenção dos direitos fundamentais do Impetent, como os que representam”, declara a ação de Eduardo Bolsonaro.

Este procedimento, antes da decisão de Gilmar Mendes, o CPI enviou uma declaração ao Corte Suprema que afirma que o eventual par de trabalho pode ter um impacto nas investigações.

“O IPC solo está cumulativo com o valor constitucional de pesquisa do objeto para o criador. O exigente [Eduardo] declara que o objeto do IPC está localizado distorsionado, mas não descarta a carga de demonstração concreta, o seguro que determina a sua afirmação. neste sentido, não acompanhado de elementos de evidência, recebimento de valor legal “, confirme o documento.

Rechazar a ação de Eduardo Bolsonaro, Gilmar mencionou que o IPC e as investigações em curso no Corte Suprema, não investigam notícias falsas e não investigam ações contra a democracia, “filho de importação vital para a apresentação do desempe- nho das pandillas verdaderas organizadas, que atravessam mecanismos de financiamento ocultos, estratégias de desinformação impulsivas, atuam como milícias digitais, manipulam o debate público e violam o ordenamento democrático ”.

Para Mendes, o intuito de restringir o trabalho da comissão parece incompatível com a funcionalidade desse tipo de colegiado.

O ministro não adianta adotar a tese de defesa de Eduardo Bolsonaro que investiga notícias falsas nas eleições de 2018, objeto do IPC e data em que era uma linha de investigação “assistente” para o trabalho do colegiado.

“A investigação do uso de perfis falsos para influir nos resultados das eleições de 2018 é um dos principais objetos do IPC indicado, e não é apenas uma consulta prévia, para que não haja violação do código vermelho e códigos de petição” , Giljo.

Mendes registra que os atos do CPI são relacionados ao STF e que o Tribunal atua como provocador.

“A validade de todos e cada um dos atos de investigação previstos a cabo dentro do alcance do IPC não tiver sido estabelecido, você sabe quais são os atos que já foram cometidos por investigadores judiciais deste Tribunal”, segundo o ministro.

Eduardo Bolsonaro também solicitou o STF que invalida as reuniões universitárias celebradas em dezembro do ano passado. No caso de Ellos, o testemunho do líder do PSL, Joice Hasselmann (SP).

Segure a ação, diputado “pronunciado um discurso de várias horas com a única intenção de debilitar a legitimidade da política de miopia de Impetent e outros miopia de base política, acusando de ter uma relação íntima em um esquema de notícias falsas completo”. .

Em outras reuniões, dados, demandas, pronúncias discadas que “demonstram a tendência imparcial das investigações”.

Os abusos de Eduardo Bolsonaro informam na ação no Corte Suprema que Joice Hasselmann se retira dos parlamentos do comitê que pertenece à base aliada do governo, re-substituindo com diputados “conocidos por oposição, declarados inimigos, para mantenedor e intensificando a perseguição ”

Filipe Barros (PSL-PR), a federal Caroline de Toni (PSL-SC), assim como seus suplentes, a federal Carla Zambelli (PSL-SP) e o federal Carlos Jordy (PSLRJ), reemplacados no país colegio. .

“Estimativas sobre o número de membros da comissão e, na última instância, os únicos defensores dos interesses políticos da base aliada do governante, e decidir, a única voz que representa o desempe- nho político do presidente da República e do Impetrante”, segundo .

fonte: https://g1.globo.com/politica/noticia/2020/04/30/gilmar-mendes-rejeita-acao-de-eduardo-bolsonaro-contra-funcionamento-da-cpi-das-fake-news.ghtml

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: