Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão

Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão
Inep admite que pode rever a data do Enem
19 de maio de 2020
Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão
Celso de Mello já viu o vídeo completo da reunião ministerial
19 de maio de 2020

Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão

Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão

Conheça as alocações do fundo de R $ 54 bilhões do Ministério da Educação que o governo colocou nas mãos de Centrão

BRASÍLIA – O governo nomeou ontem um candidato do PL, partido do centro, para a Diretoria de Ações Educacionais do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE). É uma agência que administra um dos maiores orçamentos do Ministério da Educação (MEC), de R $ 54 bilhões, e seu desempenho possui uma forte interface com os governos municipais e estaduais. O PP também enviou um nome à presidência do órgão, ainda pendente.

O nomeado para o conselho é o advogado Garigham Amarante Pinto, ex-assessor da liderança do PL na Câmara dos Deputados, nome de confiança de Valdemar Costa Neto, ex-congressista condenado no esquema de alocação e que ainda mantém o controle das iniciais hoje, apesar de não sendo formalmente o presidente da lenda. Como indicado, ele é responsável pelo Programa Nacional de Livros Didáticos (PNLD), que compra obras utilizadas por estudantes de escolas públicas de todo o país, da escola primária e secundária, além da educação de jovens e adultos (EJA).

O conselho também é responsável pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), que transfere fundos para as refeições dos alunos nas escolas para estados, municípios e escolas federais. Devido à pandemia de coronavírus, os alimentos que já foram comprados com o dinheiro do programa são distribuídos aos estudantes em kits. Tantos poderes são de interesse político, principalmente no ano das eleições municipais.

O novo diretor também liderará o programa responsável por investimentos complementares na manutenção de unidades de ensino, denominado Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).

A atual presidente do FNDE é Karine Silva dos Santos, funcionário público escolhido pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. No ano passado, o PP chegou a nomear Rodrigo Sergio Dias como presidente do órgão, mas permaneceu no cargo de agosto a dezembro. Karine foi nomeada em janeiro devido ao “perfil técnico”, segundo o MEC. Agora, o PP está tentando emergir no cargo Marcelo Lopes da Ponte, ex-chefe de gabinete do senador Ciro Nogueira (PI), presidente do partido. O Weintraub, no entanto, reluta em indicar o nome escolhido pelo centro para a presidência do fundo multimilionário.

As negociações do conselho e a presidência do FNDE fazem parte de um pacote mais amplo de posições discutidas entre o governo e as partes do centro, que também inclui o Banco do Nordeste e a Empresa de Desenvolvimento dos Valles de São Francisco e Parnaíba (Codevasf) . Republicanos, PP, PL e PSD estão solicitando o foco recente do governo Bolsonaro, que busca formar uma maioria no Congresso para evitar possíveis processos de impeachment. No entanto, as siglas se queixaram do atraso nas indicações, enviado no mês passado. O governo justificou-se citando a análise de todas as indicações feitas pela Associação Brasileira de Inteligência (Abin).

fonte: https://oglobo.globo.com/brasil/saiba-as-atribuicoes-do-fundo-de-54-bi-do-ministerio-da-educacao-que-governo-colocou-nas-maos-do-centrao-24434310

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: