Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020

Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020
Uma situação sem precedentes pode levar o Brasil a um interesse negativo, diz Gustavo Franco
23 de junho de 2020
Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020
América Latina e o dilema entre reabrir ou manter o isolamento
23 de junho de 2020

Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020

Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020

Após 18 semanas consecutivas de declínio, a projeção do PIB estabiliza em retração de 6,5% em 2020

(Shutterstock)

SÃO PAULO – Após 18 quedas semanais consecutivas, a projeção dos economistas consultados pelo Banco Central (BC) para o boletim Focus para o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020 se estabilizou, com uma variação marginal de 6,51 % de retração para 6,5%.

Para 2021, as estimativas permaneceram inalteradas em relação à semana passada, indicando uma expansão da atividade econômica em torno de 3,5%.

Os demais indicadores também não apresentaram mudanças relevantes no boletim desta semana: com relação à inflação, economistas ouvidos pela autoridade monetária prevêem que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) encerre o ano com um aumento de 1,61%, ante 1,60% no ano anterior. semana.

Para o próximo ano, a projeção aponta inflação de 3% do índice, mantendo-se estável em relação ao boletim anterior.

As previsões para a taxa de câmbio não mudaram em relação à semana passada, permanecendo em R $ 5,20 para 2020 e R $ 5,00 para 2021.

Com relação à Selic, após o Comitê de Política Monetária (Copom) ter renovado o recorde para 2,25% ao ano na semana passada, a expectativa dos agentes permanece a mesma da semana passada, de que a taxa básica de juros permanecerá estável até dezembro. Para 2021, a estimativa aponta para uma taxa Selic de 3%, também igual ao boletim anterior.

Top 5

Entre os economistas entrevistados pela autoridade monetária que estão mais corretos na previsão, reunidos no grupo “Os 5 melhores no médio prazo”, a estimativa da taxa Selic caiu de 2,25% para 1,75%, em 2020, e passou de 2,25% a 2,63% em 2021.

Para o IPCA, a projeção permaneceu a mesma da semana passada, em 1,51% para este ano e em 2,80% para a próxima.

Na taxa de câmbio, também não houve alterações em relação ao boletim anterior, e os economistas preveem o dólar em R $ 5,30 em 2020 e R $ 5,20 em 2021.

Invista na carreira mais promissora dos próximos 10 anos – aprenda a trabalhar no mercado financeiro em um curso gratuito do InfoMoney!

fonte: https://www.infomoney.com.br/economia/apos-18-semanas-seguidas-de-queda-projecao-para-o-pib-se-estabiliza-em-retracao-de-65-em-2020/

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: