Mais de 240 mil veículos já descem no litoral de SP para férias prolongadas e motoristas enfrentam congestionamento
5 de setembro de 2021
Roberto Jefferson está internado em um hospital privado
5 de setembro de 2021

Agricultura confirma dois casos de vacas loucas e suspende exportação de carne bovina à China

Agricultura confirma dois casos de vacas loucas e suspende exportação de carne bovina à China

Tamanho do texto Manoel Ventura

O Ministério da Agricultura confirmou neste sábado a ocorrência de dois casos atípicos de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida como doença da vaca louca. Como resultado, o governo brasileiro decidiu suspender temporariamente as exportações de carne bovina para a China.

Casos de vacas loucas foram confirmados em frigoríficos de Nova Canaã do Norte (MT) e Belo Horizonte.

“Todas as ações de mitigação de riscos à saúde foram concluídas antes mesmo do resultado final ser divulgado pelo laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Alberta, Canadá. Portanto, não há risco para a saúde humana e animal ”, diz a nota no folder.

Estes são o quarto e o quinto casos atípicos de vacas loucas registrados em mais de 23 anos de vigilância da doença. O Brasil nunca registrou a ocorrência de casos clássicos de vacas loucas, segundo o Agriculture.

Os casos atípicos de vacas loucas ocorrem devido a uma mutação em um único animal. Os casos clássicos, quando o animal é contaminado por sua alimentação, podem afetar mais de um bovino ao mesmo tempo.

O ministério informou que os dois casos de vacas loucas atípicas, um em cada estabelecimento, foram detectados durante a inspeção ante-mortem. Estas são vacas velhas que ficam nos currais.

Após a confirmação, o Brasil notificou oficialmente a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), conforme exigido pelas normas internacionais.

O que é a doença da vaca louca?

A doença é fatal e afeta bovinos mais velhos, causando degeneração do sistema nervoso. Como resultado, uma vaca que era inicialmente calma e fácil de manusear, por exemplo, torna-se agressiva. Daí o nome da doença.

Como a vaca está contaminada?

Existem duas maneiras principais de um animal contrair a doença. O primeiro caso é atípico, quando a proteína príon sofre mutação e se torna infecciosa. Quanto mais velho o animal, mais provável é que isso aconteça. Foi assim que ocorreram os casos registrados no Brasil nesta semana. A segunda maneira pela qual o animal fica doente é por meio da contaminação.

Quais são os principais sintomas no animal?

A doença da vaca louca tem curso prolongado, no qual o animal apresenta sintomas neurológicos como nervosismo, apreensão, medo, ranger de dentes, hipersensibilidade ao som, toque e luz e dificuldade para andar.

Existe tratamento?

Não existe tratamento ou vacina para vacas loucas, então a melhor solução é evitar que o animal desenvolva a proteína infecciosa, utilizando apenas rações autorizadas. Quando afetados pela doença, os bovinos podem morrer entre duas semanas e seis meses após o início dos sintomas. Quando um animal é diagnosticado com a doença, o produtor deve abatê-lo e incinerar o corpo, para evitar que se transforme em alimento para algumas espécies e espalhe doenças. O produtor também deve notificar a vigilância sanitária.

Os humanos podem ser contaminados?

Tal como acontece com os animais, os humanos podem desenvolver o príon infeccioso naturalmente ou adquiri-lo comendo carne infectada. Os casos humanos apresentam como sintomas perda de memória, perda de visão, depressão e insônia. Aproximadamente 90% das pessoas afetadas morrem em um ano, de acordo com o governo federal. Não há evidências de transmissão pessoa a pessoa, segundo o Ministério da Saúde, exceto em caso de contato com sangue do paciente.

Posso continuar comprando carne?

sim. Segundo o Ministério da Agricultura, os casos registrados são atípicos e, por isso, há contaminação generalizada e não epidemia da doença.

fonte: https://extra.globo.com/economia/agricultura-confirma-dois-casos-de-vaca-louca-suspende-exportacoes-de-carne-bovina-para-china-25185315.html

Os comentários estão encerrados.