A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social

A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social
Pazuello promete dados completos sobre coronavírus, diz modelo demorou muito
9 de junho de 2020
A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social
Martin Landray fala sobre tratamento Covid-19
9 de junho de 2020

A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social

A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social

A Prefeitura do Rio apela à decisão da Justiça que suspendeu o relaxamento das medidas de isolamento social

RÍO – A Prefeitura do Rio, por meio da Procuradoria Geral da República (PGM), recorreu da revogação da decisão do Tribunal, que suspendeu parcialmente o plano de reabertura gradual da cidade e do estado. O governo do estado também irá apelar. Na quarta-feira haverá uma audiência entre as partes.

Em uma nota, a cidade disse que as inspeções continuam normalmente. Segundo o município, “vale ressaltar que a definição de estratégias para lidar com o novo coronavírus recai sobre o Poder Executivo. Os decretos municipais 47.461 e 47.488 foram baseados em evidências científicas e visam promover e preservar a saúde dos habitantes”.

Na segunda-feira, o juiz Bruno Bodart da Costa, do 7º Tribunal de Finanças Públicas do Tribunal de Justiça, revogou trechos de decretos municipais e estaduais que relaxaram as medidas de isolamento social na luta contra o novo coronavírus.

Mortes no estado: Rio registra 1.700 novos casos de Covid-19 e as mortes chegam a 6.700

Como resultado, as atividades que começaram a ser lançadas na semana passada foram novamente proibidas, como caminhar ao longo da costa, atividades esportivas individuais no mar, abrir lojas e concessionárias de móveis e operar shopping centers. Apesar da decisão, o Rio acordou com surfistas no mar da Zona Sul, pessoas se exercitando no passeio e na areia, o que sempre foi proibido.

As atividades consideradas essenciais continuam válidas de acordo com os decretos anteriores. A liberação de ônibus interurbanos também foi mantida.

Justiça suspende a reabertura de praias no Rio, mas não tem efeito Foto anterior Próxima foto Participantes em Pedra do Arpoador, em Ipanema Foto: Marcia Foletto / Marcia Foletto Praia do Arpoador, em Ipanema, Zona Sul do Rio, nesta manhã de terça-feira. Atividades esportivas individuais, como o surf, foram novamente proibidas no Rio Foto: Marcia Foletto / Agência O Globo As pessoas compartilham equipamentos de ginástica nos limites de Ipanema Foto: Marcia Foletto / Marcia Foletto Mulher que se exercita no banco de praia de Arpoador Foto: Marcia Foletto / Marcia Foletto As atividades que começaram a ser lançadas na semana passada foram novamente proibidas, como caminhadas na praia, atividades esportivas individuais no mar Foto: Marcia Foletto / Marcia Foletto Jump PUBLICIDADE Banhistas na praia de Ipanema, nesta manhã de terça-feira. Na decisão, o juiz Bruno Vinicius da Rós Bodart também determinou que o governo estadual “efetivamente aplica medidas de isolamento social, por meio de órgãos estaduais com poderes policiais para vigilância, inspeção e controle, em coordenação com os Municípios, o que não foi visto nas praias de Foto de Zona Sul: Marcia Foletto / Marcia Foletto

Na decisão, o juiz Bruno Vinicius da Rós Bodart também determinou que o governo estadual “efetivamente aplica medidas de isolamento social, por meio de órgãos estaduais com poderes policiais para vigilância, inspeção e controle, em coordenação com os condados”.

Atividades suspensas pelo juiz Veja o que cada decreto estipula para os shopping centers do Governo do Estado do Rio: a partir das 12:00 às 20:00, com reabertura programada para 17/6, limite de capacidade de 50% Bares e restaurantes: limite de reabertura para 2/7 50% da capacidade Equipamentos e pontos turísticos: limite de reabertura programada para 17/7, com 1 / 3 de 50% da capacidade e 1/8 com 2/3 Igrejas: a distância entre as pessoas deve Igrejas: a distância entre as pessoas deve ser de 1 metro a 1 metro Parques para a prática de esportes: sem parques para esportes: aglomeração sem aglomeração Individual esportes ao ar livre: liberados esportes ao ar livre individuais: liberados Atividades esportivas de alto desempenho: reabertura programada para 17/6 sem audiência Indústria e serviços: 9:00 às 17:00 Indústria e serviços: 9h às 17h Varejo: as lojas de automóveis, móveis e decoração podem abrir das 11h às 19h O restante do comércio de rua, somente após 7/7 Atividades suspensas pelos tribunais Veja o que cada decreto estipula para os shopping centers do Governo do Estado do Rio: a partir das 12h às 20h, com um limite de capacidade de 50%. Reabertura programada para 17/6 Bares e restaurantes: limite de capacidade de 50% Reabertura programada para 2/7 dias Equipamentos e atrações turísticas: limite de capacidade de 50% Reabertura programada para 17/7 dias, com 1/3 da capacidade, e no dia 1 / 8 com 2/3 Igrejas: a distância entre as pessoas deve ser de 1 metro Igrejas: a distância entre as pessoas deve ser de 1 metro Parques esportivos: sem aglomeração Parques esportivos: sem aglomeração Esportes ao ar livre individuais: publicados Esportes ao ar livre individuais: lançados Atividades esportivas de alto desempenho : sem audiência Reabertura prevista para 17/6 Indústria e serviços: 9h às 17h Indústria e serviços: 9h às 17h Varejo: 11h às 19h Lojas de automóveis, móveis Lo e decoração podem ser abertos. O resto do comércio de rua, somente após 7/7

O magistrado exige que a prefeitura e o Palácio Guanabara apresentem estudos que justifiquem as novas medidas de relaxamento.

Segundo dia: retorno do transporte interurbano no estado tem terminais vazios e fiscalização na Baixada

“Exigir aos administradores públicos a atividade regulatória baseada em evidências, conforme exigido pelos profissionais médicos em sua área de atividade. A sociedade não pode estar sujeita a decisões sensíveis tomadas com base na pura discrição política do regulador, além de não admitir a submissão de um paciente ao curandeirismo “, diz um trecho da decisão.

Segundo o Palácio Guanabara, “a decisão de permitir a reabertura gradual de setores e atividades econômicas levou em consideração a redução no número diário de mortes e hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). A Secretaria de Estado da Saúde supervisionará constantemente a taxa de incidência do Covid-19 para reanálise. ”

Nas últimas semanas, a comunidade científica se opôs a relaxar a quarentena. A UFRJ e o Uerj publicaram notas criticando a decisão dos governos estaduais e municipais. Especialistas argumentam que o estado e a capital ainda não atendem aos parâmetros necessários para iniciar a flexibilização com segurança.

Caso não cumpram a ordem judicial, o juiz impôs uma multa de R $ 50.000 a Wilson Witzel e Marcelo Crivella.

fonte: https://oglobo.globo.com/rio/prefeitura-do-rio-recorre-da-decisao-da-justica-que-suspendeu-flexibilizacao-das-medidas-de-isolamento-social-24470023

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: